Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Restituição’ Category

Texto Bíblico: 2Sm 9.1-8

Introdução: Para quem não conhece a historia de Mefibosete, nasceu em berço esplêndido, da linhagem de real, príncipe por excelência, mas quando pequeno da idade de cinco anos, a sua ama, sabendo da morte de seu Rei Saul e de Jonatas, pegou o menino e fugiu e na pressa além de ser aleijado dos pés, caiu e ficou manco. (2Sm 4.4).

Conta-se a história secular que na  época de reis, quando um rei batalhava contra um outro e vencia , logo  todos os seus familiares também eram mortos, para não haver conspiração e nem sucessão ao trono. A linhagem passaria a ser do novo rei e de toda a sua família.

Quando Davi reinou, a ama de Mefibosete fugiu para Lo-Debar, cujo significado é “sem palavras”, “sem pasto”, “terreno deserto”, certamente ali Mefibosete viveria em silêncio e esperando a morte chegar, por causa do novo Rei.

Esta historia ainda bem que não acaba assim, Davi foi benevolente para com a descendência de Jônatas e sabendo que existia um herdeiro vivo, mandou imediatamente chamar e restituir  tudo o que lhe era devido. Mefibosete foi tratado pelo rei com todas as demonstrações de ternura e de bondade, e desde então residiu na capital. (v.7).

A vida de Mefibosete é um retrato da nossa própria existência. E, como ele, nós também fomos criados para sermos príncipes. Não devemos nos contentar com a vida árida do deserto, visto que fomos criados para a abundância e para a dignidade.

Os Atos de Bondade de Davi

Os atos de bondade de Davi para com Mefibosete formam um impressionante paralelo com os atos de bondade de Deus para conosco.

1- A Busca. (vv.1-4).

 Davi busca Mefibosete descendente de Jônatas para “que lhe faça bem”, restaurando-lhe os terrenos de Saul e deixando-o comer continuamente à mesa do rei.

A “Casa de Saul” era inimiga da “Casa de Davi” e, contrariando os “costumes” daquela época, que era o de matar todos os descendentes do rei deposto (para evitar futuras reivindicações ao trono), Davi, por causa da sua aliança com Jônatas, busca seus descendentes para os abençoarem.

De modo semelhante, nós, pecadores, também éramos inimigos de Deus (Rm 5.10), mas Jesus também veio nos buscar para nos salvar e nos abençoar. (Mt 11.28; Lc 19.10).

2- O Chamado. (vv. 5-6).

Davi mandar chamar Mefibosete à sua presença. Os atos de bondade de Davi para com Mefibosete formam um impressionante paralelo com a grandiosidade do Chamado de Deus para as nossas vidas. O chamado de Deus hoje:

  • É um Chamado Pessoal. (Is 43.1; Lc 19.5; At 9.15).
  • É um Chamado Universal. (Mt 11.28).
  • É um Chamado que Resulta em Grande Alegria. (At 16.34).

3- A Restituição. (v.7).

Davi restitui a Mefibosete tudo que era de seu pai e avô. Satanás rouba, mata e destrói. Jesus dá vida em abundância (Jo 10.10). Jesus restaura o homem e sua vida, família, paz, alegria, saúde, dignidade. O Senhor promete nos restituir:

  • A prosperidade perdida. (Jó 42.10).“E o Senhor virou o cativeiro de Jó… e o Senhor acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía.”
  • Tudo em dobro. (Zc 9.12).“Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também hoje vos anuncio que vos recompensarei em dobro.”
  • A sorte do seu povo. (Sl 126.3).“Grandes coisas fez o Senhor por nós, e, por isso, estamos alegres.”
  • A nossa saúde. (Jr 30.17).“Porque restaurarei a tua saúde e sararei as tuas chagas, diz o Senhor…”
  • A nossa justiça. (Jó 33.26). “Deveras, orará a Deus, que se agradará dele, e verá a sua face com júbilo, e restituirá ao homem a sua justiça.”
  • A alegria da salvação. (Sl 51.12).“Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário.”

4- A Glorificação. (v.8).

Davi convida Mefibosete para assentar-se à sua mesa permanentemente. Mefibosete é integrado à corte e assenta-se à mesa do rei na condição de príncipe de Israel. De igual modo, nós, “cães mortos”, “coxos”, também somos convidados à mesa do Senhor.

  • Como Abençoados pelo Senhor. (Ef 1.3).“… o qual nos todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo”
  • Como Filhos de Deus. (Jo 1.12).“Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus…”
  • Como Herdeiros de Deus e Co-herdeiros de Cristo. (Rm 8.17). – “E, se nós somos filhos, logo herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.”
  • Como Bem-aventurados. (Ap 19.9).“… Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro…”

Resumo: Os atos de bondade de Deus são à base da nossa salvação, pois, à semelhança de Davi com Mefibosete, Jesus buscou, chamou, restituiu e também glorificou o pecador.

 

 

 

Anúncios

Read Full Post »

 Texto Bíblico: 2Reis 6.1-7

Introdução: O incidente da flutuação do machado foi registrado para mostrar o cuidado e a provisão de Deus para aqueles que confiam nele, mesmo nos acontecimentos mais insignificantes da vida cotidiana.

Os três elementos que se destacam diante desse episódio:

1- O ferro.

Metal duro, cinzento azulado e maleável, mas privado de toda elasticidade.

Figuradamente é usado o ferro como símbolo:

  • Da resistência. (Jr 15.12).
  • Da força. (Jó 40.18).
  • Da aflição. (Sl 107.10).
  • E da escravidão. (Dt 4.20).

2- O machado.

 Uma espécie consistia de uma cunha de ferro presa com correias a um cabo de madeira. Instrumento cortante encabada, para rachar lenha, aparelhar madeira etc.

Ferramenta de trabalho:

  • Nas mãos do carpinteiro – Instrumento de lapidação.
  • Nas mãos de lavrador (Jesus) – Instrumento de limpeza e podadura. (Mt 3.10).
  • Instrumento de separação. (DT 19.5; 2Rs 6.5).
  • Instrumento de muito valor.

3- O milagre.

 Palavra derivada do latim (“miraculum”), que um sentido lato, se aplica a qualquer acontecimento maravilhoso; mas na Bíblia usa-se em sentido restrito, significando “um ato de Deus, que dum modo visível é um desvio das conhecidas operações do seu poder com o fim de autenticar uma mensagem divina, embora possa servir para outros fins.” Diversas palavras em hebraico (“Mophe Th, Pelé, Oth”) se traduzem no A.T. por milagre, maravilha, e sinal.

No N. T. usa-se a palavra “Dunamis” (poder) para significar milagre. (Mc 9.39). “Semeion” (sinal) também com a mesma significação. (Lc 23.8).

O milagre serviu para mostrar ao homem:

  • O cuidado e a provisão de Deus.
  • Que em aperto, que Deus é compassivo.
  • O poder de Deus operando através do profeta,
  • Para aumentar a fé dos jovens profetas que estavam com Eliseu.

Read Full Post »

Texto Bíblico: Levítico 25.8-12

Introdução: O ano do Jubileu se comemorava no qüinquagésimo ano contado depois de cada ano sabático. Era um ano memorável na história de Israel. Neste ano importante, a justiça social era estabelecida.

A palavra Jubileu vem do hebraico, “yovel.” Refere-se ao carneiro, cujo chifre foi usado para anunciar o ano festivo. Há comentaristas que dizem que “yovel” vem do verbo hebraico “trazer de volta,” pois os escravos voltavam a seu estado anterior de liberdade, não sendo mais servos de homens e sim apenas do Criador; e os terrenos também voltavam aos proprietários originais.

O Ano do Jubileu era o tempo em que as Trombetas soavam, escravos diziam “adeus” para os seus senhores, portas de prisões se abriam, e os presos cantavam e riam enquanto abandonavam as prisões.

O Ano do Jubileu  tem um significado espiritual, e apresenta à humanidade a esperança de que Deus estabeleceu um Dia quando toda escravidão cessará, e tudo o que Deus deu à humanidade no princípio será restaurado.

 1O Jubileu Era Um Ano de Redenção.

Um ciclo se fechava e outro se iniciava no dia da expiação também chamado “dia do perdão.” O que ficava para trás era esquecido, tipo do esquecimento de Deus com relação aos nossos pecados (Jr 31.34; Mq 7.18). Deixavam as coisas velhas para viveram coisas novas e da novidade do campo comiam (Lv 25.6,7,12).

Este é o Ano do Jubileu, é o tempo da restauração, que nos foi dada, por nosso   Deus. Quão grande é a nossa salvação! A condenação foi rasgada e a dívida paga. A herança restaurada, pois o jugo se quebrou! O Espírito enviado, e a graça transbordou. Nossas vidas restauradas, assim Deus nos libertou! Isto è Jubileu em nossas vidas. A Nossa Redenção:

  • Uma Redenção Caríssima. (Sl 49.7,8; 1Pe 1.18,19). “Ninguém pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele (pois a redenção da sua alma é caríssima, e seus recursos se esgotariam antes). (Sl 49.7,8). “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, a qual por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado.” (1Pe 1.18,19).
  • Uma Redenção Definitiva. (Ef 1.7). “Nele temos a redenção pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça.”
  • Uma Redenção Graciosa. (Rm 3.24). “Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”
  • Uma Redenção Eterna. (Hb 9.12). “Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.”
  • Uma Redenção Real. (Cl 1.14). “Em quem temos a redenção pelo seu sangue, e saber, a remissão do pecados.”  

“O nosso Deus é o Deus de Redenção.”

2- O Jubileu Era Um Ano de Liberdade.

No Ano de Jubileu, os escravos tinham a sua liberdade restaurada (Lv 25.10). Todos os servos ou escravos estavam em condições de obter a sua liberdade (Lv 25.39-46; Jr 34.8-14). O Ano do Jubileu era o ano de proclamar liberdade na terra a todos os seus moradores

O nosso Senhor Jesus, deixou claro que veio para cumprir a Lei e não anula-la, portanto Ele cumpriu em si mesmo também o Jubileu do Antigo Testamento. Isaías profetizou o “ano aceitável do Senhor” (Is 61.2), e “o ano dos meus redimidos é chegado.” (Is 63.4). Se lermos atentamente a profecia que fala de Jesus, em (Is 61.1-3), vemos claramente que os benefícios concedidos pelo Ano do Jubileu, o Senhor os confirmou e os ampliou ainda mais. Oferecendo “… boas novas aos mansos, restaurar aos contritos de coração, liberdade aos cativos, abertura das portas das prisões aos presos… e consolação a todos os tristes.” Isto sim que é Jubileu em nossas vidas. “O ano aceitável do Senhor.”

  • Jesus  veio e nos libertou,  pagou as nossas dívidas. Este foi o propósito da Sua vinda, e este é o poder da Sua ressurreição.
  • Jesus Cristo é o nosso  Jubileu. Nele há liberdade,  vida  e restauração. (Sl 102.19-20).“Porquanto olhara desde o alto do seu santuário, desde os céus, o Senhor observou a terra, para ouvir o gemido dos presos, para soltar os sentencionados à morte.”
  • Nós estamos firmes na liberdade que Cristo nos libertou (Gl 5.1).“Estai, pois firmes na liberdade com que Cristo nos libertou…”
  • Através de Jesus o homem pode sair da escravidão do pecado e ganhar plena liberdade. (1Co 7.21,22).“Foste chamado sendo servo? Não te dê cuidado; e, se ainda podes ser livre, aproveita a ocasião. Porque o que é chamado pelo Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor…”
  • Ao escravo do pecado à liberdade é proclamada. (Jo 8.36).“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, serei livres.”  

“O nosso Deus é o Deus de Libertação.”

3- O Jubileu é o Ano de Restituição.

Neste Ano de Jubileu, cada um voltava a ser dono da sua possessão (Lv 25.13). O povo recebia a restituição de todos os seus bens, além de haver um cancelamento geral de todas as suas dividas.

Cristo já pagou na cruz todas as nossas dívidas, e cancelou todo escrito de divida que havia contra nós, e restituiu o nosso crédito diante de nosso Deus (Cl 2.14; 1Jo 3.21-22).

  • Ele ainda nos prometeu restituir os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador (Jl 2.25). O Senhor promete nos restituir os anos perdidos.
  • Ele promete restituir a prosperidade perdida. (Jó 42.10).“E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o Senhor acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía.”
  • Ele promete nos restituir tudo em dobro. (Zc 9.12).“Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também hoje vos anuncio que vos recompensarei em dobro.”
  • Ele promete restituir a sorte do seu povo. (Sl 14.7b; 126.1-3).“… Quando o Senhor restaurar a sorte do seu povo, então, se regozijará Jacó, e se alegrará Israel.” (Sl 14.7b). – “Quando o Senhor trouxe do cativeiro os que voltavam a Sião, estávamos como os que sonham. Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de cânticos; então, se diziam entre as nações: Grandes coisas fez o Senhor a estes.Grandes coisas fez o Senhor por nós, e, por isso, estamos alegres.”
  • Ele promete restituir a nossa justiça. (Jó 33.26).“Deveras, orará a Deus, que se agradará dele, e verá a sua face com júbilo, e restituirá ao homem a sua justiça.”
  • Ele promete restituir a nossa saúde. (Jr 30.17).“Porque restaurarei a tua saúde e sararei as tuas chagas, diz o Senhor…”
  • Ele promete restituir a nossa alegria, derramando sobre nós as chuvas de bênção. (Jl 2.23).                                                                             

O nosso Deus é o Deus de restituição.”

 Resumo: O Ano Jubileu proclama  a instauração da era messiânica, com o fim de todos os sofrimentos e de toda a violência, resgate de toda a dívida, e restauração da nossa terra. Que este ano… seja verdadeiramente um Ano de Júbilo e de Alegria em nossas vidas.

Read Full Post »