Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Provação’ Category

Texto Bíblico: Eclesiastes 3.1-8

Introdução: O principal foco de Salomão nesta passagem é que Deus tem um plano para todas as pessoas. Ele estabeleceu ciclos para a vida, em cada um deles há trabalhos que devemos realizar. Apesar de enfrentarmos muitos problemas crermos nEle, antes, deve ser vistos como oportunidades para descobrirmos que, sem Deus, os problemas da vida não têm soluções permanentes!

Deus é o Senhor do Tempo.

Deus é o Senhor do tempo (Dn 2.21) e através de sua Soberania Ele faz como quer. O salmista afirma, dizendo: “Os meus tempos estão em tuas mãos…” (Sl 31.15ª), ensinando-nos que o nosso tempo pertence a Deus e que apenas somos mordomos dessa dádiva divina.

  • Deus, o autor (criador) do tempo. (Ec 3.11ª; Gn 1.14).
  • O tempo pertence a todos. (Ec 9.11; Ef 5.16).
  • Tempo, uma dádiva divina. (Ec 3.1-8). 

Esperando o Tempo Determinado por Deus:

1- Tempo de Salvação. (2Co 6.2).

“Porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação; eis aqui agora o tempo aceitável, eis agora o dia da salvação.”

Exemplo: Zaqueu, o publicano. (Lc 19.1-10).

2- Tempo de Provação. (vv.4ª, 8b).

As Sagradas Escrituras dizem:

“… Bem-aventurados são os que agora chorais, porque haveis de rir.” (Lc 6.21b).

“… o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.” (Sl 30.5b).

“Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelado.” (Rm 8.18).

3- Tempo de Exaltação. (v.4b).

“humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo vos exalte.” (1Pe 5.6).

Exemplo: Davi esperou pelo tempo determinado por Deus – 15 anos. (1Sm 16.12,13; 2Sm 2.4; 5.3).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Gênesis 32.22-32

Introdução: O nome Jacó, que dava a entender um defraudador astucioso, agora foi mudado para “Israel,” que significa “aquele que luta com Deus.” Os seguidores de Cristo, às vezes são chamados o “Israel de Deus.” (Gl 6.16). – Isto é, aqueles que lutam com Deus.

Jacó, o homem à procura da benção:

1- Jacó no vale Jaboque.

Jacó deixa sua família, os servos e os animais. “Jacó, porém ficou só” (Gn 32.24) no vale Jaboque, que é um ribeiro que corre numa profunda fenda das montanhas de Gileade, em direção ao Jordão. Ali, sozinho, durante toda a noite ele lutou com um varão. “… Não te deixarei ir, se não me abençoares.” (Gn 32.26). Ele não queria perder aquela oportunidade, precisava de benção de Deus. 

Sozinho com Deus, para:

  • Ouvir a sua voz. (v.26; Ez 3.22).
  • Saber seu nome. (v. 29).
  • Ver sua face – glória. (v.30).
  • Receber sua benção. (v.28).

2- Jacó luta com Deus.

  • Toda aquela noite – Persistência, perseverança. (v.26).
  • Deus o deixou prevalecer. (v.28).
  • Porém feriu a coxa de Jacó. (v.25).
  • A partir daquele momento Jacó passava a depender não das suas tramas e força, mas da ajuda, orientação e benção de Deus.

Benção na desesperança.

O desesperado Jacó clamou: “… Não te deixarei ir, se não me abençoares.” (v.26) e o grito do desesperado pela benção transformou Jacó num novo homem, com um novo nome. (v.28). Ele de fato tinha “prevalecido,” pois essa é a maneira de agir do Deus infinito em misericórdia: ele não pode ser derrotado pela nossa força, mas sempre é vencido pelo nosso clamor. E, assim o Jacó sem esperança saiu mancando, agora como Israel, pois “tinha visto a face de Deus.”

3- Deus muda seu nome.

Jacó alcançou a sua benção: “… Não se chamará mais o teu nome Jacó, mas Israel…” (v.28). Agora, não mais seria chamado como enganador ou suplantador, mas como “Campeão com Deus,” “Príncipe com Deus.” (2Co 5.17).

Read Full Post »

Texto Bíblico: 1Reis 17.8-16

Introdução: O Senhor traz o auxílio de onde menos esperamos. Ele provê o que necessitamos de uma forma que ultrapassa nossas restritas definições ou expectativa.

Não importa quão amarga sejam as nossas tribulações, ou quão sem esperança a nossa situação possa parecer, devemos buscar o cuidado de Deus.

Podemos encontrar sua providência em lugares ou situações que nos pareçam estranhas!

1- Deus Provando a Sua Fé. (vv. 10-13).

Quando a viúva de Sarepta conheceu Elias, pensou que iria preparar sua última refeição. Porém, Elias pede-se a ela que estava ficando completamente sem comida que compartilhasse o pouco que ainda tinha com Elias. E ela não sabendo que Deus estava provando a sua fé.

Às vezes, as provações vêm sobre o crente a fim de que Deus possa testar a sinceridade da sua fé. A prova contém a idéia de provar autenticidade. A Escritura Sagrada diz:

“Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos, segundo o fruto das suas ações.” (Jr 17.10).

“Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo.” (1Pe 1.7).

2- Orientação de Elias. (v. 13):

  • “Não temas…” (Confiança),
  • “… vai…” (Obediência e Submissão),
  • “E foi ela e fez conforme a palavra de Elias…” (v. 15ª). (Dependência).

3- Abundância Prometida. (v. 14).

  • O sustento dos servos do Senhor é garantido. (Fl 4.19).

“E o meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo a sua gloriosa riqueza em Cristo Jesus.”

4- Providência Divina. (v. 14; Is 64.4):

  • Aquela viúva tinha tudo e não sabia. (v. 12). “…  farinha na panela e azeite na botija…”.
  • E assim comeu ela, e a sua casa muitos dias. (v. 15b).
  • Hoje, não é diferente, ainda há esperança. (Ef 3.20).

Resumo: O Senhor traz o auxílio de onde menos esperamos. Acredite! Tenha Coragem! Não perca a esperança: “O pouco pode ser transformado em muito se for colocado nas mãos do Senhor e por Ele abençoado.” (Mc 6.30-44).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Mateus 15.28

A chamada literatura Clementina da a essa mulher o nome de Justa, e sua filha se chamava Berenice. O hábito das é atribuir nomes as pessoas, para tornar mais concreto o que é indefinido. Mas não podemos confiar em tais tradições, apesar de interessantes.

Está mulher era grega, siro-fenício de nação. (Mc 7.26). Cuja filha tinha um espírito imundo. (v.22; Mc 7.25).

Os fenícios descendiam dos cananeus, nação semita. Ela era da Fenícia siríaca, e não da Líbio-Fenícia no norte da áfrica.

  • Ela era uma mulher gentia.
  • Os gentios não se comunicavam com os judeus.
  • Eles eram inimigos dos judeus.

            “Jesus veio para quebrar essas barreiras.” 

As atitudes que está mulher tomou para alcançar o seu objetivo:

1- Ela não perdeu a oportunidade.

– “… ouvindo falar de Jesus, foi e lançou-se aos seus pés.” (Mc 7.25).

Exemplos:

  • A mulher que tinha um fluxo de sangue. (Mc 5.25-34).
  • O pai do jovem lunático. (Mc 9.17-24).
  • Zaqueu. (Lc 19.1-10).

A Sagrada escritura diz:

“Foste chamado sendo servo? Não te dê cuidado; e, se ainda podes ser livre, aproveita a ocasião.” (1Co 7.21).

2- Ela clamou ao Senhor. (v.22).

“… clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim…”

Exemplos:

  • Israel sob o jugo da escravidão. (Êx 2.23).
  • José do Egito na tribulação. (At 7.9,10).
  • Sansão no sofrimento. (Jz 16.28).
  • Samuel diante dos inimigos. (1Sm 7.7-12).
  • Davi na angústia. (Sl 18.6; 22.5).
  • Jonas na barriga do grande peixe. (Jn 2.2).

As Sagradas Escrituras dizem:

“Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.” (Jr 33.3).

“A ti clamaram e foram salvos…” (Sl 22.5).

3- Ela adorou ao Senhor. (v.25).

“… chegou ela e adorou-o dizendo: Senhor socorre-me.”

A Sagrada Escritura diz:

“Mas à hora vem, e agora é que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem.

Deus é espírito; e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” (Jo 4.23,24).

4- Ela humilhou perante o Senhor. (v.27).

“… sim Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.”

As Sagradas Escrituras dizem:

“… e o que a si mesmo se humilhar será exaltado.” (Mt 23.12).

“Humilhai-vos perante o Senhor e ele vos exaltará.” (Tg 4.10).

“Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo, vos exalte.” (1Pe 5.6).

Resumo: Aquela mulher não se desanimou diante dos obstáculos, e cumpriu todas as condições impostas por Jesus, provando a sua fé: através da sua confiança, humildade e perseverança.

“O mulher, grande é a tua fé. Seja isso feito para contigo, como tu desejas…” (v.28).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Mateus 15.21-28 

Introdução: Esta narrativa é dada aqui para mostrar claramente que aquilo que Jesus procurara outorgar a Israel seu ministério e os benefícios do mesmo – eventualmente seriam dados aos gentios.

A oposição dos discípulos e o silêncio de Jesus não – desanimariam – aquela mulher, porque a sua necessidade era grande e seu sofrimento vinha se prolongando desde muito. A presença de Jesus em seu território era para ela uma oportunidade singular, que ela não esperava, mas que agora lhe dava esperança de que sua filha pudesse ser liberta daquela horrível possessão demoníaca.

Os obstáculos postos no caminho daquela mulher só fizeram aumentar a sua fé. Sua fé se assemelhava a um rio, que aumenta ao encontrar diques que se lhe opõem à correnteza, até que finalmente está domina tudo, levando tudo de roldão à sua frente.

Aqui algumas lições espirituais:

1- A mulher demonstrou humildade, reconhecendo sua posição de mulher gentia, mas não desanimou.

2- Ela teve perseverança; transformou uma aparente recusa em promessa subentendida de ajuda.

3- Ela demonstrou ter espiritualidade; a despeito da dura recusa inicial, ela reconheceu a bondade de Jesus, e evidentemente reconheceu que ele era o Messias e a implicação de sua missão era tal que sugeria que os próprios gentios seriam participantes da plenitude da graça de Deus e do reino dos céus.

4- Ela mostrou confiança; reconheceu que a bondade e a graça do Senhor não conheciam limites.

Read Full Post »

Texto Bíblico: 2Reis 4.26

 Introdução: Diz Newell: “Coisas sombrias e coisas brilhante; coisas felizes e coisas tristes; coisas doces e coisas amargas; tempos de prosperidade e tempos de adversidade. A grande mulher, a sunamita, cujo filhinho estava morto em casa, respondeu à pergunta de Eliseu, “Vai bem com a criança?” Com… “Vai tudo bem.” Conforme dizia nosso amado irmão R. A. Torrey, sobre o trecho de Romanos 8.28: “Um travesseiro suave para um coração exausto.” As ações de ambos nesse incidente, de Eliseu e da sunamita, ilustram a importância da fé e da persistência.

A narrativa dessa sunamita rica contém três episódios-chaves:

1- A Benção. (vv.8-17).

As Sagradas Escrituras dizem:

“A benção do Senhor é que enriquece, e ele não acrescenta dores.” (Pv 10.22).

“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo.” (Ef 1.3).

  • A nossa salvação. (Sl 68.19).

2- A Prova. (18-21).

As Sagradas Escrituras dizem:

“o crisol é para a prata, e o forno, para o ouro; mas o Senhor prova os corações.” (Pv 17.3).

“Sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência.” (Tg 1.3).

“Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.” (Tg 1.12).

“Porque par mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” (Rm 8.18).

  • O nosso crescimento espiritual.

3- Restauração. (vv.22-37).

O nosso Deus é aquele que restaura. Chamado reparador de brechas e restaurador de veredas. (Is 58.12).

  • O Senhor restitui a nossa saúde. (Jr 30.17).
  • O Senhor restitui a prosperidade perdida. (Jó 42.10).
  • O Senhor restitui a sorte do seu povo. (Sl 14.7).
  • O Senhor restitui a alegria da salvação. (Sl 51.12).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Isaías 24.15ª

Introdução: Você não está aqui por acaso. Deus tem propósitos em sua vida. E um dos propósitos dEle é que você glorifique a Ele e receba a vitória em nome do Senhor Jesus! A Escritura Sagrada  diz: “… Abraão… foi fortificado na fé dando glória a Deus.” (Rm 4.20b). – “Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!” (Rm 11.36). Glória para Deus e vitória para sua vida hoje e nome do Senhor dos Exércitos!

1- O que é Vale? É uma planície ou depressão situada na base ou entre montes, várzea que se localiza a beira de rios. – de Lágrimas, – de Amarguras. Geralmente é chamado “desfiladeiro” ou “ravina”. Figura desse mundo caótico e cruel. Um lugar sombrio, profundo. Lugar de experiências dolorosas. Lugar de Experiências com Deus. (Ez 37.1-14). O lugar onde Deus nos leva aos limites de nossa Dependência a Ele. (Sl 23.4).

  • Vale é o começo de uma história.
  • Conseqüência da vida.
  • Preparamento para a vitória.

2- A Bíblia Fala de Vales:

  • O Vale de Sidim. (Gn 14.1-3; 10-16). “Vale da Grande Perda”.
  • O Vale de Savé. (Gn 14.17). “Vale do Rei”.
  • O Vale de Gerar. (Gn 26.1,2). “Vale das Afrontas”.
  • O Vale de Ebrom. (Gn 37.14). “Vale da Traição e da Escravidão”.
  • O Vale de Beraca. (2Crô 20,26) “Vale de Benção”.
  • O Vale da Sombra da Morte. (Sl 23.4). “Vale de Sofrimento”.
  • O Vale de Baca. (Sl 84.6). “Vale de Lágrimas”.
  • O Vale da Visão. (Is 22.1) “Cidade de Jerusalém – Habitação da Paz”.
  • O Vale de Ossos Secos. (Ez 37.1-14). “Vale da Restauração”.
  • O Vale de Acor. (Os 2.15). “Vale da Esperança”.
  • O vale de Josafá. (Jl 3.14). “Vale da Decisão – Jeová Julga”.

Qual Vale você está?… O vale é inevitável. Deus nos leva ao vale não para sofrermos, mas para crescermos. No vale experimentaremos a dor, mas teremos experiência com o Senhor! Não temas, nem te assombres, pois o Senhor é poderoso para abrir fontes no meio do vale e te saciar de alegria. (Is 41.10).

3- Vale é Lugar:

  • De Benção. (2Crô 20.26).
  • De Restauração. (Ez 37.1-14).
  • De Exaltação. (Is 40.4).
  • Onde Deus se faz presente. (Sl 23.4; Is 43.2; Dn 3.25).
  • Onde Deus manifesta a sua glória. (Ez 3.23).
  • Onde Deus fala. (Ez 3.22). – “… Levanta-te, tem bom ânimo, não temas, Eu sou contigo…”

4- O Que Devemos Fazer nos Vales:

  • Confiar no Senhor. (Sl. 20.7,8; 125.1).
  • Esperar no Senhor. (Os 2.15; Sl 40.1; Is 40.31).
  • Descansar no Senhor. (Is 65.10; Sl 23; 37.4).
  • Glorificar ao Senhor. (Is 24.15a; Sl 103.1-5).

5- Porque Devemos Glorificar ao Senhor nos Vales:

  • Porque Ele é o Deus Verdadeiro. (Dt 32.4; Nm 23.19; Rm 3.4; 1Jo 5.20).
  • Porque Ele é o Deus Fiel. (Sl 146.6; Is 49.15; 1Co 1.9; 1Tss 5.24; Hb 10.23).
  • Porque Ele é o Deus Imutável. (Êx 3.14; SL 102.26,27; Ml 3.6; Tg 1.17).
  • Porque Ele é o Deus Infalível. (Gn 18.14; Jr 32.17; Jó 42.2; SL 93.4; 115.3; Is 43.13; Mt 19.26; Mc 10.27; Lc 1.37; Ef 3.20; Jd 24).
  • Porque Ele é o Deus de Vitória. (2Sm 8.6,14; Sl 18.50; 44.7; 108.13; Pv 21.31; 1Co 15.57; 2Co 2.14).
  • Porque Ele é o Deus dos Vales. ( 1Rs 20.28; Sl 23.4; Ez 3.22,23).

Resumo: “Glorificai ao Senhor nos vales…” (Is 24.15a).

Read Full Post »