Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Presença Divina’ Category

Texto Bíblico: 1Coríntios 7.21

Introdução: Quantas oportunidades já não foram desperdiçadas por tantas pessoas neste momento, oportunidades de escolha que poderiam fazer diferença no agora ou no futuro.

Quantas oportunidades não foram colocadas em segundo plano por conta de orgulho, de poder, de posição.

Quantos que neste momento dariam tudo se pudesse voltar no tempo em face de não aproveitar as oportunidades que foram colocadas à disposição. Muitas oportunidades são únicas. (Ec 9.11,12).

1- A Oportunidade da Salvação. (2Co 6.2).

Deus oferece salvação a todas as pessoas. Muitas adiam uma decisão a favor de Cristo pensando que haverá uma ocasião melhor – mas podem facilmente perder por completo a oportunidade.

Não existe um tempo tão apropriado para receber o perdão (salvação) de Deus como o presente. Não permita que algo o impeça de vir a Cristo.

O tempo oportuno é “agora” mesmo. Este e o tempo “aceitável”, “bem-vindo” e “favorável” – este em que vivemos.

A Escritura Sagrada diz:

“como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos, depois, confirmada pelos que a ouviram.” (Hb 2.3).

2- A Oportunidade de Buscar ao Senhor. (Is 55.6).

Isaías nos exorta a buscá-lo enquanto pudemos achá-lo, enquanto Ele está próximo. Não espere até encontrar-se à deriva, e longe de Deus, para procurá-lo. Quanto mais tempo passar, mais difícil será voltar para Ele. Busque a Deus agora, enquanto pode fazê-lo, antes que seja tarde de mais.

A Escritura Sagrada diz:

“… é tempo de buscar o Senhor…” (Os 10.12).

“… se o buscardes, o achareis…” (2Crô 15.2b). Tiago disse: “Chegai-vos, pois, a Deus, e ele chegará a vós…” (Tg 4.8ª).

“… Buscai-me e vivei.” (Am 5.4).

“… aqueles que buscam ao Senhor de nada têm falta.” (Sl 34.10).

3- A Oportunidade da Liberdade. (1Co 7.21).

A escravidão era comum em todo Império Romano. Hoje também não são diferentes as pessoas são escravas do pecado até que entregue sua vida a Cristo, que é o único que pode vencer o poder do pecado e te dar plena liberdade. – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres.” (Jo 8.36).

Agarre, aprovei-te a oportunidade: “Foste chamado sendo escravo? Não te dê cuidado; e, se ainda podes ser livre, aproveita a ocasião.” (1Co 7.21). Hoje é o seu Dia! Aproveite a oportunidade para ser livre.

A Escritura Sagrada diz:

“e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (Jo 8.32).

Resumo: As oportunidades que temos hoje podem não estar disponíveis no futuro, e isso é uma das coisas que muitas pessoas acabam não levando em conta. Não perca as oportunidades de Deus à sua vida!

Hoje é o tempo da oportunidade da Salvação de Buscar ao Senhor e de Liberdade! Aproveite-te enquanto há tempo, pois, amanhã pode ser tarde demais! Aproveite, não deixe para amanhã o que se pode fazer hoje!

Read Full Post »

Texto Bíblico: Isaías 6.1-3

Introdução: A visão que teve Isaías ocorreu no ano em que morreu o Rei Uzias, (742 a.C.) – talvez a experiência da morte do Rei produziu um senso de vazio, que o levou ao Templo em busca de consolo. No Templo, Isaías teve uma grande visão de Deus, que culminou com sua chamada profética. Isaías teve uma visão tríplice de Deus. Vamos percorrer as fases desta visão e aplicá-la aos nossos dias. Vejamos:

1- Isaías Viu a Majestade de Deus. (v.1).

A primeira característica que ganha destaque do profeta é o fato de que Deus é cheio de Majestade. Ele é descrito como sentado em um trono muito alto e elevado, acima da terra. Apenas a barra de seu manto enche todo o Templo, que era enorme. Percebe-se, desta forma, que Deus é o rei soberano de toda a terra, nada se compara à sua grandiosidade e poder.

Ele está acima de qualquer autoridade e poder humano, é maior que reinos e reis. Seu trono é fixo e ele reinará para sempre, ninguém pode tirar seu reinado, ao contrário dos reis da terra.

Isaías teve esta visão justamente no ano da morte do rei Uzias. A morte de um rei sempre causava desespero e instabilidade entre o povo, pois não havia garantia de que o herdeiro ao trono iria conduzir o reino da mesma forma que o pai.

A visão mostra que, independente da circunstância, Deus sempre será rei. Homens morrem, reis deixam o reinado, situações financeiras mudam, pais se separam, tragédias acontecem, mas não devemos perder a esperança, porque o Deus Todo poderoso nunca deixará de governar e de ter o controle sobre tudo o que acontece. (Sl 145.13).

Precisamos de uma visão de um Deus que esteja além de nós (num trono alto, sublime e exaltado) e não seja apenas um produto de nossa imaginação.

2- Isaías Viu a Santidade de Deus. (vv.2,3).

A segunda característica destacada por Isaías é a santidade de Deus. Os Serafins dão grande ênfase a isto ao afirmar por três vezes que Deus é santo. “… Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos…” Dizer que Deus é santo é afirmar que ele é diferente de todas as suas criaturas. Os serafins sabiam isto e cobriam o rosto e o corpo, pois eram tão diferentes de Deus que não se viam como dignos de olhar para sua face e aparecer diante dele com seus corpos tão diferentes e inferiores. Esta é uma grande revelação do caráter de Deus: a sua santidade.  A idéia básica de Santidade é “separação”, ou seja, Deus está separado e acima de sua criação. Significa também que Deus está além do Universo, acima dele, separado; e que não há nele qualquer erro, falha ou imperfeição. Esse é o Deus a quem servimos; um Deus perfeito.

  • A santidade divina significa que Deus é separado do pecado. (6.3).
  • A santidade de Deus proporciona o padrão a ser imitado. (Lv 19.2b).“… Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.”
  • Tal santidade é condição para que O vejamos. (Hb 12.14).  “… sem a santificação, ninguém verá o Senhor.”

Deus deseja ser conhecido essencialmente por Sua santidade, pois esse é o atributo pelo qual Ele é glorificado por excelência.

3- Isaías Viu a Glória de Deus. (v. 3b).

Em terceiro lugar, chamou a atenção o que os anjos afirmam que “… toda a terra está cheia da sua glória.” No texto são os Serafins que estão proclamando a “Glória de Deus”. Veja a expressão: “Toda a terra está cheia de sua glória”. Isaías podia perceber uma pequena demonstração desta glória ali dentro do Templo.

A “glória do Senhor” refere-se a uma manifestação visível da presença e do esplendor de Deus. A glória de Deus também se refere á presença visível de Deus entre o seu povo. A glória de Deus é também chamada a Shekinah de Deus. A palavra Shekinah vem do verbo hebraico que significa “habitação (de Deus)”, empregada para descrever a manifestação visível da presença e a glória de Deus.

A Glória de Deus é Manifestada:

  • Na criação. (Sl 19.1). “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.”
  • No seu julgamento. (Ez 39.21). “E eu porei a minha glória entre os gentios e todos os gentios verão o meu juízo, que eu tiver executado, e a minha mão, que sobre elas tiver descarregado.”
  • Na redenção. (Lc 2.13-14). “E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.”
  • Quando construímos uma casa para Ele. (2Cr 7.1-3). Após o rei Salomão haver construído uma das sete maravilhas do mundo antigo: O grande Santuário. A Bíblia diz que, Deus encheu aquele Santuário de uma forma tão tremenda que os sacerdotes ficaram embriagados com a glória de Deus.
  • Através da fé. (Jo 11.40). “Disse-lhe Jesus: Não te disse, se creres, verás a glória de Deus?”

Resumo: Assim como o profeta Isaías, Todo aquele que verdadeiramente conhece, compreende, crê e assim vive segundo a visão de Deus, revelada em Cristo Jesus e na Sua palavra, tem um estilo de vida impactado por esta mesma visão.

Precisamos conhecer compreender e viver segundo a visão, a revelação divina de que o caminho para o bom êxito é o caminho da vida em comunhão e obediência a Deus Pai, por meio de Jesus Cristo, sob a capacitação do Espírito Santo.

Read Full Post »

Texto Bíblico: Êxodo 33.14,15

 Introdução: A presença do Senhor é indispensável na vida do crente. A presença de Deus dará descanso ao seu povo, isto é, a sua presença alivia, conforta, acalma e nos tranqüiliza. A presença do Senhor produz grandes resultados em nossa vida. Vejamos!

Na Presença do Senhor:

1- Há Descanso. (v.14; Mt 11.28).

2- Há Segurança. (v.15; Mt 8.26,27).

3- Há Esperança. (1Tm 1.1; Lc 19.10).

4- Há Proteção. (Sl 84.11). “Porque o Senhor Deus é… um escudo…”

5- Há Gozo Incomparável. (Sl 16.11; Jó 41.22).

6- Há Vitória. (Êx 14.19-30; Rm 8.31; 1Co 15.57).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Isaías 43.1-5

Introdução: Todas as bênçãos, aqui mencionadas pertencem principalmente aos filhos de Deus, mediante a fé em Cristo. Deus nos criou e nos redimiu; pertencemos a Ele, e Ele conhece cada um de nós pelo nome. (v.1). Diante de problemas difíceis, não seremos vencidos, pois Ele está conosco. (vv.2,5). A proteção de Deus transcende tudo o que possamos imaginar. Vejamos:

1- “Quando passares pelas águas, estarei contigo, e, quando pelos rios, eles não te submergirão…” (v. 2ª).

Exemplos:

  • A nação de Israel. A passagem pelo meio do mar. (Êx 14.21,22).

Como se daria esse livramento? Se recuassem iriam de encontro ao exército egípcio! E, avançar, como, se um grande mar estava à sua frente? Era um momento de decisão. Por isso disse Deus: “… Dize aos filhos de Israel que marchem.” (Êx 14.15b).

Quando então tudo parecia perdido, Ele interferiu, e, “Pela fé, passaram o mar Vermelho, como por terra seca…” (Hb 11.29).

  • O apóstolo Pedro. (Mt 14.29).

“E Ele (Jesus) disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus.”

Você também pode passar e andar sobre as águas! A Escritura Sagrada diz:

“… se tiverdes fé… nada vos será impossível.” (Mt 17.20).

“… Não temas, crê somente.” (Mc 5.36).

“… Tudo é possível ao que crê.” (Mc 9.23).

“… Se creres, verás a glória de Deus.” (Jo 11.40).

2- “Quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” (v. 2b).

Exemplos:

  • Os Heróis da Fé. (Hb 11.34ª).

“Extinguiram a violência do fogo…”

  • Os três hebreus na fornalha de fogo ardente. (Dn 3.20-25).

Passaram pelo fogo e não foram queimados. Porque a presença de Deus estava ali, mediante a fé. “Extinguiram a violência do fogo…” (Hb 11.34). Os três hebreus foram miraculosamente protegidos. Porque, “Ele é o quarto Homem passeando (presente) dentro da fornalha de fogo ardente.” (Dn 3.25).

Que Deus maravilhoso! Quando ele não nos livra do fogo, Ele anda no fogo junto com a gente! Nem sempre Deus nos livrará da luta, mas sempre nos livrará na luta e sempre estará conosco na luta. (Sl 91.15). “Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei e o glorificarei.”

3- A Presença de Deus é a Razão de Proteção e Vitória:

  • Porque Ela é Poderosa. (Dn 3.17,25; Lc 1.37).
  • Porque Ela é Protetora. (Is 43.2; Sl 46.1; Rm 8.31).
  • Porque Ela é Vitoriosa. (Pv 21.31; 1Co 15.57; 2Co 2.14).

Resumo: A presença de Deus faz toda a diferença. Nas adversidades a presença trás livramento. A presença do Senhor garante vitória. “Quando passares pelas águas, estarei contigo, e, quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” (Is 43.2). Você é Protegido! Você é Intocável! Eles

Read Full Post »

Textos Bíblicos: Levítico 6.12ª, 13; Provérbios 26.20a

Introdução: O fogo de Deus está presente hoje na vida de cada crente. Ele acende a chama quando o Espírito Santo passa a habitar em nós, e zela tanto por isto que crescemos em graça enquanto andamos com ele.

Um fogo pode apagar-se simplesmente mediante a remoção do combustível, ou por falta de lenha. Desde o Antigo Testamento, a ordem de Deus era “O fogo pois, sempre arderá sobre o altar; não se apagará, mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã…” (Lv 6.12a).

Devemos Manter o Fogo Aceso em Nossas Vidas. Como?

1- Com o Combustível da Oração. (Pv 26.20a).

O combustível a ser colocado no fogo é lenha da nossa oração. A oração na vida do crente, não é questão de escolha ou opção, é uma questão de necessidade e sobrevivência espiritual.

A Escritura Sagrada  diz:

“… sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer.” (Lc 18.1).

“… perseverai na oração.” (Rm 12.12b).

“Perseverai em oração…” (Cl 4.2).

“Orai sem cessar.” (1Tss 5.17).

Quando perseveramos em oração – “O fogo pois, sempre arderá sobre o altar; não se apagará…” (Lv 6.12ª).

Hei, mantenha a chama acesa! Lembre-se: “Sem lenha, o fogo se apagará…” (Pv 26.20ª).

2- Com o Combustível do Espírito Santo. (1Tss 5.19; Ef 5.18b).

 Portanto só fazemos prejudicar a nós mesmos e atrair derrota sobre as nossas vidas, quando apagamos as chamadas de atuação do Espírito de Deus. A vinda e a atuação do Espírito com freqüência são relacionadas à idéia simbólica de “fogo”.

A Escritura Sagrada  diz:

“E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.” (Mt 3.11).

“E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.” (At 2.3).

– “E do trono saíam relâmpagos, e trovões, e vozes; e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os sete Espíritos de Deus.” (Ap 4.5).

– “Por este motivo, te lembro que despertes o dom de Deus, que há em ti…” (2Tm 1.6ª).

Sim: “… atiça em chamas o dom de Deus que há em ti”. Portanto, não apaguemos e nem abafemos o fogo sagrado. “… Para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.” (Ef 3.19).

  • O crente cheio do Espírito de Deus é como Sansão que colocou fogo na seara dos filisteus!
  • O crente cheio do Espírito de Deus é como Davi disse a Saul: “Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá e pelejará contra o filisteu.” (1Sm 17.32).
  • O crente cheio do Espírito de Deus é como Davi, que disse a Golias: “Tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudo; eu, porém, vou contra ti em nome do SENHOR dos Exércitos…” (1Sm 17.45).
  • O crente cheio do Espírito é como Jesus disse: “… Em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas… e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.” (Mc 16. 17,18).
  • O crente cheio do Espírito é como Jesus, que disse a Lázaro que estava morto e na sepultura há quatro dias: “… Lázaro, sai para fora!” (Jo 11.43).
  • O crente cheio do Espírito é como Pedro que disse ao paralítico: “Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho (poder), isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta e anda.” (At 3.6).
  • O crente cheio do Espírito é como Estevão: “… que fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus e Jesus que estava á sua direita.” (At 7. 55).
  • O crente cheio do Espírito: “… é bem-aventurado (feliz), porque sobre ele repousa o Espírito da glória de Deus.” (1Pe 4.14b).

O mesmo Deus que disse: “O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará.” (Lv 6.13), deseja que o fogo do Espírito Santo continue ardendo continuamente no altar das nossas vidas nos dias maus em que vivemos.

Que este fogo sempre esteja aceso, na vida de cada crente para que possa viver uma vida renovada pelo poder do Espírito de Deus.

3- Com o Combustível da Presença de Deus. (2Sm 22.13).

Deus é fogo Dt 4.24 e Hb 12.29 nos dizem que Deus é fogo consumidor e tudo que estiver envolvido pela presença de Deus também se torna fogo. O fogo era um emblema da presença divina. Tratava-se da presença do Deus vivo. O fogo refere-se a uma manifestação visível da presença e do esplendor da glória de Deus. A chama de fogo era a glória da presença de Deus, a Shekinah, que transformava tudo e todos em que tocasse. Vejamos.

O Fogo da Presença de Deus:

  • Na Sarça Ardente – “Apareceu-lhe o Anjo do Senhor numa chama de fogo, no meio de uma sarça; Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo e a sarça não se consumia.” (Ex 3.2).
  • Guiando o Povo Pelo Caminho – E o Senhor ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para guiá-los pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para alumiá-los, a fim de que caminhassem de dia e de noite.” (Êx 13.21). 
  • No Monte Sinai – “Todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo… e todo o monte tremia grandemente.” (Êx 19.18).
  • No Monte de Deus – “E o aspecto da glória do Senhor era como um fogo consumidor no cimo do monte, aos olhos dos filhos de Israel.” (Êx 24.17).
  • No Monte Carmelo – “Então, caiu fogo do Senhor, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e a terra, e ainda lambeu a água que estava no rego.” (1Rs 18. 38).
  • Na Dedicação do Templo – “Tendo Salomão acabado de orar, desceu fogo do céu e consumiu o holocausto e os sacrifícios; e a glória do Senhor encheu a casa.” (2Crô 7.1).

O fogo de Deus está presente hoje na vida de cada crente:

  • Quando o fogo está aceso na vida do crente, ele mesmo é uma brasa acesa!
  • Quando o fogo está aceso na vida do crente, ele é uma tocha incendiando, as vidas por onde passa!
  • Quando o fogo está aceso na vida do crente, o seu rosto resplandece como de Moisés e nele o mundo vê a presença de Cristo.
  • Quando o fogo está aceso na vida do crente, ele prega a Palavra em tempo e fora de tempo.
  • Quando o fogo está aceso na vida do crente – “… Deus faz dos seus Ministros labaredas de fogo” (Hb 1.7b).
  •  Quando o fogo está aceso na vida do crente – “O fogo arderá continuamente sobre o altar, não se apagará.” (Lv 6.13).

Resumo:  Mantenha o Fogo Aceso! Com o “Combustível da Oração, com o Combustível do Espírito Santo e com o Combustível da Presença de Deus.” “O fogo arderá continuamente sobre o altar, não se apagará.” (Lv 6.13).

 

Read Full Post »