Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Decisão’ Category

Texto Bíblico: 1Reis 18.19-40

Introdução: “Elias e os profetas de Baal.” Baal, no hebraico significa “Senhor”: O supremo deus dos cananeus, correspondendo a Bel, Senhor dos babilônicos. Baal era o deus do sol, responsável pela germinação e crescimento da lavoura, e aumento dos rebanhos e a fecundades das famílias.

Em tempos de seca e de peste, sacrificaram-lhe vítimas humanas para apaziguar a sua ira. (2Rs 16.3; 21.6; Jr 19.5). Nesses holocaustos, a família geralmente oferecia o primogênito, s vítima sendo queimada viva.

Baal era a divindade masculina e Astarote a feminina entre os fenícios e os cananeus.

Elias no hebraico significa “Deus é Senhor” ou “Cujo Deus é Jeová.”

Ele era um benjamita, filho de Jeorão. (1Crô 8.27).

Morador de Gileade. (1Rs 17.1).

O profeta da oração eficaz. (1Rs 17.1; 18.36-38; 41-45; Tg 5.16-18).

Encontramos três grupos no Monte Carmelo:

  • Os odiosos, como Acabe,
  • Os diligentes como Elias,
  • E os indiferentes, indecisos, que coxeavam entre dois lados.

O profeta Elias pede ao povo que tome uma decisão acerca de Deus de desafia aos profetas de Baal para uma prova de fogo. (1Rs 18.20-24).

  • A batalha dos deuses,
  • O fracasso dos falsos profetas,
  • A vitória de Elias.

Os segredos do sucesso de Elias:

1- Coragem. (vv. 17-19). Exemplos de coragem:

  • Abraão. (Gn 15.1).
  • Davi. (1Sm 17.32,45).
  • Salomão. (1Crô 23.13b).
  • Isaías. (Is 41.10,13)

A coragem um elemento fundamental:

  • Para aceitar os desafios. (Êx 14.15).
  • Para desafiar os obstáculos. (2Crô 32.7,8).
  • Para enfrentar o adversário das nossas almas. (Tg 4.7b).
  • Para viver no centro da vontade de Deus. (Fl 2.13).

2- Decisão. (vv. 19-24). Exemplos de decisão:

  • Daniel. (Dn 1.8).
  • Os três amigos de Daniel. (Dn 3.16-18).
  • Davi. (1Sm 17.32).
  • Paulo. (At 21.13; Fl 1.21).

3- Confiança. (vv. 22-24; 30-35). “Fé”

“A fé é a certeza das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.” (Hb 11.1).

Exemplos:

  • Jairo, Jesus disse-lhe: “… Não temas, crê somente.” (Mc 5.36).
  • Ao pai do jovem indemoniado, Jesus disse-lhe: “… Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.” (Mc 9.23).
  • Marta irmã de Lázaro, Jesus disse-lhe: “… Se creres, verás a glória de Deus.” (Jo 11.40).

A Escritura Sagrada diz:

– “Cheguemo-nos com verdadeiro coração; em inteira certeza de fé.” (Hb 10.22).

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hb 4.16).

4- Poder. (vv. 36.38). Exemplos de orações de poder:

  • O batismo de Jesus. (Lc 1.21,22).
  • A transfiguração de Jesus. (Lc 9.29).
  • Os discípulos. (At 4.31).

“… a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tg 5.16c).

Anúncios

Read Full Post »

Texto Bíblico: Jonas 4.1-11

Introdução: A palavra de Deus fora claramente confiada a Jonas. Sua chamada não poderia ter sido mais clara. Porém, o profeta resolveu não ir a Nínive, mas fugir para Társis (na Espanha). (Jn 1.2,3). Com isso ele tentava algo impossível: escapar da presença do Senhor. Ao verificar a geografia da região (mapa), vemos que as duas cidades estão em direções opostas. À medida que ele procurava aproximar-se ou chegar a Társis, mais longe ficava do local da sua missão predita. O resultado foi que não conseguiu fugir da presença de Deus.

Em conseqüência dessa primeira atitude podemos observar as quatro falhas no Ministério de Jonas. Vejamos:

1- A Desobediência de Jonas. (1.3).

Deus concedeu um propósito a Jonas – pregar para Nínive, a capital da Asssíria, poder mundial e o país mais temido e odiado pelo povo de Deus. Era uma cidade poderosa e perversa. Jonas odiava os assírios e temia suas atrocidades. Seu ódio era tão forte que não desejava que recebessem o perdão de Deus. Na verdade temia que aquele povo se arrependesse. (Jn 4.2,3). Por esta razão, respondeu com indiferença e desobediência ao propósito de Deus. Talvez, não sabendo ele que a desobediência é a conseqüência e a causa de todos os males.

Qual Foi a Desobediência de Jonas:

  • Quando fugiu da vontade de Deus.
  • Quando fugiu da presença de Deus. (Sl 139.7,8).
  • Quando fugiu de sua missão.

Consequências da Desobediência:

  • Deus enviou uma grande tempestade. (1.4).
  • Deus enviou um grande peixe para que tragasse a Jonas. (1.7). Instrumento de Castigo: “… e esteve Jonas três dias e três noites nas entranhas do peixe.” (1.17).

2- A Negligência de Jonas. (1.5,6; 2.1).

Em meio à forte tempestade, Jonas dormia profundamente no porão do navio, talvez por causa do cansaço, exaustão e pressão. Isto nos mostra a condição espiritual do profeta, que ao invés de estar buscando a Deus em favor dos marinheiros que estavam prestes a ir a pique, preocupava-se apenas consigo mesmo. Mesmo diante da aparentemente situação os atos de Jonas não incomodavam sua consciência. A negligência é a omissão de cuidado; descuido, incúria, desmazelo, menoscabo, desatenção.

  •  Na oração.

Enquanto deveria estar orando estava dormindo. Talvez Estivesse Dormindo Como:

  • Sansão, o sono da carnalidade. (Jz 16.19).
  • Elias, o sono do desânimo. (1Rs 19.5).
  • Os discípulos, o sono da negligência. (Mc 14.37-42).
  • Lázaro, o sono da morte. (Jo 11.11).

Qual o Sono Está Dormindo? As Escrituras Sagradas  dizem:

– “Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios.” (1Tss 5.6).

“Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentro os mortos, e Cristo te     esclarecerá.” (Ef 5.14).

“… que é já hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé.” (Rm 13.11).

3- A Covardia de Jonas. (4.1-3).

Jonas se irou quando Deus poupou Nínive. Porque não queria que seus habitantes fossem perdoados, e sim que fossem destruídos. Jonas pensou que Deus não concederia gratuitamente a salvação a uma nação pagã pecadora. Em seguida, desejou morrer porque essa destruição não mais aconteceria. Como se esqueceu tão rapidamente da misericórdia que recebera de Deus quando estava dentro do peixe! (Jn 2.9,10). Ele ficou muito feliz quando Deus o salvou, mas irou-se quando Nínive foi salva.

  • Quando pensou que Deus tinha esquecido dele. (Is 49.15,16).
  • Com sua atitude egoísta de pensar só em si próprio.
  • Quando pediu para Deus tirar a vida. (4.3).

4- O Exclusivismo de Jonas. (4.6-11).

Jonas ficou irado pela planta que pereceu, mas não pelo que aconteceria a Nínive. Jonas não se queixou da misericórdia de Deus para com ele, ao salvá-lo do peixe. Ele sabia que Deus era “um Deus clemente e misericordioso, tardio em irar-se e de grande beneficência” (v.2), porém ele, pobre criatura, não podia concordar com Deus nisso. Queria ver a grande cidade incendiada.

O incidente da aboboreira servia para ensinar ao profeta a loucura e o egoísmo da sua atitude. Ele podia lastimar a falta da aboboreira porque desfrutou da sua sombra, mas estava bem disposto a ver uma grande cidade varrida com a destruição.

O exclusivista é aquele que tudo sacrifica ao seu próprio proveito; que tem como centro do mundo; que só pensa no seu próprio interesse. É a qualidade daquele que se acha dominado e envolvido pelo próprio eu. O exclusivismo é o contrário ao espírito missionário. A mensagem de Jonas é que Deus é o Deus não apenas dos judeus, mas também dos gentios.

  • Ele queria que Deus destruísse e castigasse os ninivitas. (4.2).
  • Ele queria que Deus não tivesse misericórdia dos ninivitas. (4.2,3).
  • Ele se preocupava mais consigo próprio e seu conforto do que com as almas da grande capital da Assíria.
  • Ele soube pregar com unção, mas não aprendeu que também é vital ter compaixão.
  • Ele tinha esquecido que o Senhor é um Pai cheio de ternura e misericórdia. (4.2).

Resumo: Jonas deveria estar feliz pelo grande avivamento, e a obra que Deus tinha feito com os ninivitas.

Read Full Post »

Texto Bíblico: Esdras 7.10

Introdução: Esdras vai a Jerusalém. Devemos reconhecer um intervalo de 58 anos entre os capítulos 6 e 7. Dario está morto, e Artaxerxes (Longimanus) reina na Pérsia. È o sétimo ano do seu reinado,458 a.C., e Esdras obtém licença de ir a Jerusalém. Ele, como Neemias, pediu licença de ir a Jerusalém, mas sendo sacerdote seu primeiro interesse foi o Templo de Deus. Neemias foi para restaurar a cidade e edificar os muros.

Esdras, “Escriba Versado” na Lei do Senhor, Deus de Israel. (Ed 7.6). Dedicava sua vida ao estudo das Sagradas Escrituras. Era sacerdote eficiente, porque estava determinado a obedecer aos mandamentos do Senhor e ele ensinou tanto através de seus pronunciamentos quanto por meio de seu exemplo. Esdras é um modelo para todos que se dedicam como pessoas ungidas por Deus, a estudar, obedecer e ensinar a sua palavra. Vejamos:

Esdras preparou o seu coração para:

1- Buscar a Lei do Senhor.

  • A lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma. (Sl 19.7ª).
  • A lei do Senhor dá sabedoria ao simples. (Sl 19.7b).
  • A lei do Senhor é a verdade. (Sl 119.142; Jo 8.32).
  • A Lei do Senhor é espiritual. (Rm 7.14).

2- Cumprir a Lei do Senhor.

  • Quem ama, cumpri a lei. (Rm13.8).
  • Cumprir a lei é andar em liberdade. (Sl 119.44,45, 96-100).
  • Cumprir a lei é questão de prudência. (MT 7.24).
  • Cumprir a lei garante entrada no reino de Deus. (Mt 7.21).
  • A obediência à lei deve ser de todo coração. (Dt 26.16; 32.46).
  • A obediência à lei é o preço do êxito. (Js 1.7,8).
  • A obediência à lei é melhor que o sacrifício. (1Sm 15.22).
  • Há uma bem-aventurança para aquele que cumprir a lei. (Jo13.17).

Tiago adverte: “… sede cumpridores da palavra e não ouvintes”. (Tg 1.22).

3- Ensinar a Lei do Senhor.

  • É uma ordenança de Jesus. (Mt 28.19,20; 2Tm 4.2).
  • É uma santa vocação. (2Tm 1.9).
  • É a missão do povo de Deus. (2Crô 17.7; Mt 28.19,20).
  • É uma obrigação do povo de Deus. (2Tm 4.2).
  • É a responsabilidade mais importante do povo de Deus. (Mt 28.19,20; 2Tm 4.2).
  • É uma urgência do povo de Deus. (Mt 24.14).
  • Há uma promessa de recompensa para todos os que fazem à obra de Deus. (2Crô 15.7; 1Co 15.58).

Resumo: A Como Esdras, devemos estar determinados a estudar e a obedecer à Palavra de Deus. Lealdade a Deus e a sua Palavra sempre trará a benção e a ajuda divina. Todos os que buscam a Deus contritamente e que lhe são leais e, à sua Palavra, terão a mão favorável do Senhor sobre eles.

Read Full Post »

1- Sigo a Cristo Porque Ele Morreu e Ressuscitou ao Terceiro Dia. (Mt 28.6). “O Túmulo está vazio”

2- Sigo a Cristo Porque Ele Tem Todo Poder no Céu e na Terra. (Mt 28.18).

3- Sigo a Cristo Porque Ele é o Leão da tribo de Judá. (Ap 5.5).

4- Sigo a Cristo Porque Ele é o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. (Ap 19.16).

5- Sigo a Cristo Porque Ele é a Ressurreição e a Vida. (Jo 11.25).

6- Sigo a Cristo Porque Ele é o Único Que Diz:

  • Eu Sou o Pão Vivo Que Desceu do Céu. (Jô 6.35,48).
  • Eu Sou a Luz do Mundo. (Jo 8.12).
  • Eu Sou a Porta. (Jo 10.9).
  • Eu Sou o Bom Pastor. (Jo 10.11).
  • Eu Sou a Ressurreição e a Vida. (Jo 11.25).
  • Eu Sou o Caminho a Verdade e a Vida. (Jo 14.6).
  • Eu Sou o Alfa e o Ômega.

“Eu Sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso… E o que vivo e fui morto, mais eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.” (Ap   1.8,18).

“… Eu Sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.” (Ap 21.6).

“Eu Sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o fim, o Primeiro e o Derradeiro.”     (Ap 22.13).

7- Sigo a Cristo Porque Ele é a Esperança:

  • Cristo, Bem-aventurada Esperança. (Tt 2.13).
  • Cristo, Boa esperança. (2Tss 2.16).
  • Cristo, Esperança Segura. (1Tss 5.8; 1Tm 6.15; Hb 10.37).
  • Cristo, Esperança Futura – Eterna. (1Tss 4.16,17; Tt 3.7).
  • Cristo, Esperança Viva. (1Pe 1.3).
  • Cristo, Esperança da Glória. (Cl 1.27).
  • Cristo, Esperança Nossa. (1Tm 1.1).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Apocalipse 3.7, 8

Introdução: A porta aberta do presente texto, profeticamente falando, refere-se à era missionária da igreja, que começou nos fins do século XVIII e que chega até os nossos próprios dias.

Essa porta aberta talvez ofereça uma oportunidade incomum para a pregação do evangelho.

O ato de abrir uma porta é uma das mais sugestivas figuras simbólicas de linguagem humana. Horizontes mais vastos, vistas mais amplas, visões mais profundas, maiores possibilidades de sucesso, livramentos, ar puro e nova vida.

1- A Porta Foi Aberta Por Deus.

A porta foi provida por Deus, mas para se entrar nela é necessária a cooperação humana.

“… o que tem a chave de Davi, o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre.” (v. 7).

“… eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar…” (v. 8).

Depois de abrir, ninguém poderá fechá-la novamente – a salvação está assegurada. Uma vez que esteja fechada, ninguém poderá abri-la – e o castigo será infalível.

Essas palavras dão a entender o Senhorio absoluto de Cristo. A passagem de Mateus 28.18, onde se lê: “… Toda autoridade me foi dada no céu e na terra.”

O prazer de Cristo é o de abrir a porta para todas as nações, para que ouçam o evangelho e o Apocalipse mostra que isso se realizará.

2- A Porta Ainda Está Aberta:

1) Porta da Salvação. (Jo 10. 9a).

Jesus é a única porta da salvação, não há salvação senão por Ele. (At 4.12). Jesus é a porta da salvação de Deus para nós. (Mt 7.13,14; Lc 13.24). Jesus é única à porta que leva á vida eterna.

2) Porta da Libertação. (Jo 10. 9b).

Jesus é a única porta (verdade) para a libertação de quem está cativo no pecado.

A Escritura Sagrada diz:

“e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (Jo 8.32).

“Se, pois o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres.” (Jo 8.36).

3) Porta da Proteção. (Jo 10. 7).

No aprisco, o pastor desempenha a função de uma porta, fazendo com que, por seu intermédio, as ovelhas entrem e sejam protegidas. Ele oferece o acesso à segurança e à proteção. Cristo é o nosso protetor.

4) Porta da Provisão. (Jo 10. 9c).

Sendo Ele o doador da vida é também Aquele que a sustenta. Podemos confiar que Deus sempre atenderá às nossas necessidades materiais e espirituais. Ele sempre proverá tudo àquilo de que precisarmos em nossa vida. O suprimento de Deus é abundantemente rico e glorioso. (Fl 4.19).

Resumo: Pouco tempo resta para aqueles que desejam ser admitidos. Logo o dono da casa fechará a porta, e os que chegarem tarde “baterá”em vão. As palavras do “dono da casa” são umas reminiscências das palavras do noivo, na parábola das virgens loucas e prudentes. (Mt 25. 10-13).

Esforçamo-nos arduamente para entrar pela porta estreita e segui-lo, porque desejamos sinceramente conhecer Jesus pessoalmente, a qualquer custo. Não ousemos adiar esta decisão, porque a porta da graça não ficará aberta para sempre!

Read Full Post »

Texto Bíblico: Apocalipse 3.20

Introdução: Cristo está à porta, e sua vinda se dará em breve. (Mc 13.29). Cristo, o Senhor da Igreja, está do lado de fora da mesma. O mesmo Senhor, em paciência e amor, pede admissão e promete comunhão vital com aqueles que lhe derem ouvidos. “Filho meu, dá-me o teu coração.”

Jesus bate à porta de nosso coração porque deseja nos salvar e manter uma íntima comunhão conosco. Ele é paciente e persistente em sua tentativa de fazer parte de nossa vida – sem invadir ou se introduzir por conta própria, mas batendo. Ele nos permite decidir se queremos ou não abrir nossa vida a Ele. Será que você, intencionalmente, sempre mantém sua presença e seu poder de transformar vidas do lado de fora da porta?  

A porta é a vida do individua, da igreja ou da comunidade religiosa. A famosa pintura de Holman Hunt,em que Cristoaparece diante da porta, a bater, não mostra a maçaneta do lado de fora. È que só pode ser aberta pelo lado de dentro. 

Cristo Bate a Porta do Seu Coração:

“Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo.” (v.20).

1- Um Senhor que Bate: “Eis que estou à porta e bato…”

Cristo tanto bate à porta como fala. Com grande freqüência. Pedindo permissão para entrar e fazer morada.

2- Um Senhor que Pede: “… se alguém abrir a porta…”

Esta é a voz do Bom Pastor, que conduzirá as ovelhas às pastagens de sua comunhão transformadora.

3- Um Senhor que Promete: “… entrarei em sua casa…”

Cristo entra na casa, a fim de assentar-se à mesa do banquete, como amigo e companheiro.

4- Um Senhor que Abençoa: “… cearei, com ele e ele comigo.

Que maravilha! Receber Jesus, e tê-lo como convidado de honra, ceando em sua casa. E desfrutando de sua comunhão, segurança sustento e salvação.

Resumo: Cristo Está á Porta e Bate. E Ele está dizendo: “Filho meu, dá-me teu coração.”

Read Full Post »

Texto Bíblico: Marcos 5.25-35

Introdução: A mulher tinha uma hemorragia debilitante, embaraçosa, desencorajadora. (v.26), que estava além da ajuda do conhecimento e da simpatia humanos. Só Jesus podia ajudar agora. Todos nós, eventualmente, chegamos ao ponto onde aquela mulher estava. Meu socorro vem do Senhor. Não há miséria humana que não possa ser aliviada por essa espécie de esperança. Doze anos de sofrimentos tiveram cura repentina.

1- Ouvir. (v.27a).

A mulher ouvira falar de Jesus estando muito longe, em Cesaréia de Filipo, mas não impediu que qualquer coisa lhe servisse de empecilho. Ela fez o sacrifício a fim de que levasse seu problema à presença da Fonte da Cura.

Ela passava por muitas dolorosas e prolongadas curas, tomando muitos remédios e sofrendo com muitos curadores crus. Mas sabia que Jesus era diferente, e que sua cura podia ser feita de modo instantâneo e completo. Foi recompensado em sua fé. A Bíblia diz: “De sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Rm 10.17). A fé vem pelo “que se ouve”, e não por causa do ato de ouvir. Ouvir falar do poder de Jesus e experimentar esse poder são coisas totalmente diversas.

2- Crer. (v.28).

A mulher solicitara a ajuda de muitos médicos, mas nenhum deles pôde aliviá-la. A mulher veio a Jesus como último recurso. Teria apelado para ele antes, se tivesse podido fazê-lo. Apelou para Jesus como último recurso. Porque dizia: “Se tão-somente tocar nas suas vestes sararei.” (v.28). Sua fé estava firmada em terreno sólido. Nada havia de mágico nas roupas de Jesus; mas dele emanava um poder autêntico, para quem estivesseem necessidade. A mulher não confiava nas vestes de Jesus, mas no próprio Cristo envolvido por aquelas vestes.

As Escrituras Sagradas dizem:

“… se tiverdes fé… nada vos será impossível…” (Mt 17.20).

“… Não temas, crê somente.” (Mc 5.36).

“… tudo é possível ao que crê.” (Mc 9.23).

“… se creres, verás a glória de Deus.” (Jo 11.40).

3- Tocar. (v.27b).

Tocar em Jesus. Aqui uma lição espiritual: Muitos tocaram em Jesus, mas não eram curados. Até hoje, também, muitos sabem acerca de Cristo e o respeitam, mas poucos são transformados por ele. Isso só ocorre mediante a confiança legítima nele, e não mediante o mero contacto com seu evangelho, com sua igreja, com sua história. Jesus corresponde aqueles que correspondem a ele, de modo real.

O que importa era o contato com Jesus e a sua presença. A cura teve lugar quando ela tocou nas vestes de Jesus. Há poder sanador no toque de Jesus, porque Ele se compadece das nossas enfermidades, e porque Ele é a fonte da vida e da graça. (Hb 4.16). Nossa atitude ao buscarmos a cura é aproximar-nos de Jesus e permanecer na sua presença. Aproxime de Jesus. (Tg 4.8ª). Toque em Jesus!:

  • Com Coragem. (v.27ª).  “… veio por detrás, entre a multidão…”
  • Com Ousadia. (v.27b). “… e tocou na sua vestimenta.”
  • Com Confiança – fé. (v.28). “Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei.

As Escrituras Sagradas dizem:

“no qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele.” (Ef 3.12).

“Chegamos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hb 4.16).

“Ora, sem fé é impossível agradar a Deus, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” (Hb 11.6).

Read Full Post »

Older Posts »