Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Conquista’ Category

Texto Bíblico: 2Crônicas 20.1-4,12-22

Introdução: Este é, provavelmente, o capítulo mais amado e familiar de 2 Crônicas, pois explica como o Senhor garante a vitória àqueles que confiam nEle. Josafá estava enfrentando o pior ameaça externa do seu reinado. Uma grande multidão (v.2) de moabitas, amonitas e outras tribos da região da Síria estavam tramando esmagar Judá. Em face da incrível disparidade numérica do inimigo, Josafá humilhou-se diante do Senhor. O resultado? O resultado foi a maior vitória jamais experimentada por ele. A promessa do Senhor, dada através do profeta Jaaziel, serve de conforto para crentes de todas as épocas que enfrentam situações de desesperança: “… Não temas, nem vos assusteis… pois a peleja não é vossa, senão de Deus.” (v.15b).

No entanto, a narrativa revela três passos que colocaram o povo na posição em que Ele poderia libertá-los:

1- Jejum. (v.3).

O jejum foi o primeiro passo para a vitória que Judá experimentou. Este foi um jejum anunciado, de que participou toda a nação. O jejum não é um meio pelo qual alguém pode manipular a Deus para conseguir algo. O jejum é simplesmente uma indicação externa de uma sinceridade interna, evidência da urgência em momentos de necessidades especiais.

2- A Oração. (vv.4-13).

A oração foi o segundo passo diretamente relacionada à vitória de Judá. A oração de Josajá talvez tenha sido baseada na promessa de 7.14. O v.12 traduz a essência desta oração para momentos de desesperança: “Porque em nós não há força… e não sabemos nós o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti.” O clamor do cristão na mais escura noite da sua experiência é: “Senhor, não sei o que fazer, mas sei que posso contar com a tua ajuda.” (Is 41.10).

3- O Louvor. (vv.18-22).

O louvor foi o terceiro passo que revelaram a milagrosa vitória de Judá. (A palavra Judá significa “louvor”). E, ao tempo em que começaram (a cantar) com júbilo e louvor a Deus, na certeza de que Ele iria lutar por eles, os seus inimigos foram desbaratados.

O louvor poderoso gera vitória. A vitória veio de uma forma estranha, mas poderosa. Os levitas ficaram de pé e louvaram “o Senhor, Deus de Israel, com voz muito alta.” (v.19). O resultado deste poderoso louvor foi uma vitória completa!

O Sl 22.3 explica que Deus é entronizado entre os louvores do seu povo. Qual seja a situação ou tempo em que o povo de Deus o louva, Deus reina entre o povo e faz grandes coisas em seu favor: “… Louvai ao Senhor, porque a sua benignidade dura para sempre.” (v.21b).

Resumo: “… Não temais, nem vos assusteis… Pois a peleja não é vossa, senão de Deus.” (v.15b). – “… Louvai ao Senhor, porque a sua benignidade dura para sempre.” (v.21b).

Read Full Post »

Texto Bíblico: 1João 2.15-17

Introdução: A palavra mundo (gr. Kosmos) frequentemente se refere ao vasto sistema de vida desta era, fermentado por Satanás e existente à parte de Deus.

Consiste não somente nos prazeres obviamente malignos, imorais e pecaminosos do mundo, mas também se refere ao espírito de rebelião que nele age contra Deus, e de resistência ou indiferença a Ele e à sua revelação.

Isso ocorre em todos os empreendimentos humanos que não estão sob o senhorio de Cristo. Finalmente, o “mundo” também inclui todos os sistemas religiosos originados pelo homem, bem como todas as organizações e igrejas mundanas e mornas.

Três Verdades:

1- O mundo nos odeia. (Jo 17.14).

2- O mundo não nos conhece. (1Jo 3.1).

3- O mundo jaz no maligno. (1Jo 5.9).

Três Privilégios:

1- Não somos deste mundo. (Jo 17.16).

2- Somos a luz deste mundo. (Mt 5.14).

3- Maior é o que está em nós do que o que está no mundo. (1Jo 4.4b).

Três Requisitos:

1- Não sejais amigo do mundo. (Tg 4.4). “Amizade”

2- Não ameis o mundo. (1Jo 2.15). “Amor”

3- Não conformeis com o mundo. (Rm 12.2). “Conformidade”

E a Vitória sobre o mundo. (1Jo 5.4,5).

A nossa fé:

1- Na Palavra de Deus. (Sl 119.9,105; Pv 30.5; Ef 6.17).

2- Em Jesus. (Jo 10.10; Pv 21.31; 1Co15.57; 2Co 2.14; 1Jo 4.4; Ap 5.5; 19.16).

3- No Poder do Espírito Santo. (Lc 24.49; At 1.8; 2.1-4).

Resumo: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (1Jo 2.15-17).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Isaías 6.1-3

Introdução: A visão que teve Isaías ocorreu no ano em que morreu o Rei Uzias, (742 a.C.) – talvez a experiência da morte do Rei produziu um senso de vazio, que o levou ao Templo em busca de consolo. No Templo, Isaías teve uma grande visão de Deus, que culminou com sua chamada profética. Isaías teve uma visão tríplice de Deus. Vamos percorrer as fases desta visão e aplicá-la aos nossos dias. Vejamos:

1- Isaías Viu a Majestade de Deus. (v.1).

A primeira característica que ganha destaque do profeta é o fato de que Deus é cheio de Majestade. Ele é descrito como sentado em um trono muito alto e elevado, acima da terra. Apenas a barra de seu manto enche todo o Templo, que era enorme. Percebe-se, desta forma, que Deus é o rei soberano de toda a terra, nada se compara à sua grandiosidade e poder.

Ele está acima de qualquer autoridade e poder humano, é maior que reinos e reis. Seu trono é fixo e ele reinará para sempre, ninguém pode tirar seu reinado, ao contrário dos reis da terra.

Isaías teve esta visão justamente no ano da morte do rei Uzias. A morte de um rei sempre causava desespero e instabilidade entre o povo, pois não havia garantia de que o herdeiro ao trono iria conduzir o reino da mesma forma que o pai.

A visão mostra que, independente da circunstância, Deus sempre será rei. Homens morrem, reis deixam o reinado, situações financeiras mudam, pais se separam, tragédias acontecem, mas não devemos perder a esperança, porque o Deus Todo poderoso nunca deixará de governar e de ter o controle sobre tudo o que acontece. (Sl 145.13).

Precisamos de uma visão de um Deus que esteja além de nós (num trono alto, sublime e exaltado) e não seja apenas um produto de nossa imaginação.

2- Isaías Viu a Santidade de Deus. (vv.2,3).

A segunda característica destacada por Isaías é a santidade de Deus. Os Serafins dão grande ênfase a isto ao afirmar por três vezes que Deus é santo. “… Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos…” Dizer que Deus é santo é afirmar que ele é diferente de todas as suas criaturas. Os serafins sabiam isto e cobriam o rosto e o corpo, pois eram tão diferentes de Deus que não se viam como dignos de olhar para sua face e aparecer diante dele com seus corpos tão diferentes e inferiores. Esta é uma grande revelação do caráter de Deus: a sua santidade.  A idéia básica de Santidade é “separação”, ou seja, Deus está separado e acima de sua criação. Significa também que Deus está além do Universo, acima dele, separado; e que não há nele qualquer erro, falha ou imperfeição. Esse é o Deus a quem servimos; um Deus perfeito.

  • A santidade divina significa que Deus é separado do pecado. (6.3).
  • A santidade de Deus proporciona o padrão a ser imitado. (Lv 19.2b).“… Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.”
  • Tal santidade é condição para que O vejamos. (Hb 12.14).  “… sem a santificação, ninguém verá o Senhor.”

Deus deseja ser conhecido essencialmente por Sua santidade, pois esse é o atributo pelo qual Ele é glorificado por excelência.

3- Isaías Viu a Glória de Deus. (v. 3b).

Em terceiro lugar, chamou a atenção o que os anjos afirmam que “… toda a terra está cheia da sua glória.” No texto são os Serafins que estão proclamando a “Glória de Deus”. Veja a expressão: “Toda a terra está cheia de sua glória”. Isaías podia perceber uma pequena demonstração desta glória ali dentro do Templo.

A “glória do Senhor” refere-se a uma manifestação visível da presença e do esplendor de Deus. A glória de Deus também se refere á presença visível de Deus entre o seu povo. A glória de Deus é também chamada a Shekinah de Deus. A palavra Shekinah vem do verbo hebraico que significa “habitação (de Deus)”, empregada para descrever a manifestação visível da presença e a glória de Deus.

A Glória de Deus é Manifestada:

  • Na criação. (Sl 19.1). “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.”
  • No seu julgamento. (Ez 39.21). “E eu porei a minha glória entre os gentios e todos os gentios verão o meu juízo, que eu tiver executado, e a minha mão, que sobre elas tiver descarregado.”
  • Na redenção. (Lc 2.13-14). “E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.”
  • Quando construímos uma casa para Ele. (2Cr 7.1-3). Após o rei Salomão haver construído uma das sete maravilhas do mundo antigo: O grande Santuário. A Bíblia diz que, Deus encheu aquele Santuário de uma forma tão tremenda que os sacerdotes ficaram embriagados com a glória de Deus.
  • Através da fé. (Jo 11.40). “Disse-lhe Jesus: Não te disse, se creres, verás a glória de Deus?”

Resumo: Assim como o profeta Isaías, Todo aquele que verdadeiramente conhece, compreende, crê e assim vive segundo a visão de Deus, revelada em Cristo Jesus e na Sua palavra, tem um estilo de vida impactado por esta mesma visão.

Precisamos conhecer compreender e viver segundo a visão, a revelação divina de que o caminho para o bom êxito é o caminho da vida em comunhão e obediência a Deus Pai, por meio de Jesus Cristo, sob a capacitação do Espírito Santo.

Read Full Post »

Texto Bíblico: Êxodo 33.14,15

 Introdução: A presença do Senhor é indispensável na vida do crente. A presença de Deus dará descanso ao seu povo, isto é, a sua presença alivia, conforta, acalma e nos tranqüiliza. A presença do Senhor produz grandes resultados em nossa vida. Vejamos!

Na Presença do Senhor:

1- Há Descanso. (v.14; Mt 11.28).

2- Há Segurança. (v.15; Mt 8.26,27).

3- Há Esperança. (1Tm 1.1; Lc 19.10).

4- Há Proteção. (Sl 84.11). “Porque o Senhor Deus é… um escudo…”

5- Há Gozo Incomparável. (Sl 16.11; Jó 41.22).

6- Há Vitória. (Êx 14.19-30; Rm 8.31; 1Co 15.57).

Read Full Post »

Texto Bíblico: 2Crônicas 20.1-4, 15,21

Introdução: Este é, provavelmente, o capítulo mais amado e familiar de 2Crônicas, pois explica como o Senhor garante a vitória àqueles que confiam Nele.

Josafá estava enfrentando a pior ameaça externa do seu do seu reinado. Uma grande multidão (v. 2) de moabitas, amonitas e outras tribos da região de Síria estavam tramando esmagar Judá.

Em face da incrível disparidade numérica do inimigo, Josafá humilhou-se diante do Senhor. O resultado? O resultado foi a maior vitória jamais experimentada por ele.

A promessa do Senhor, dada através do profeta Jaaziel, serve de conforto para os crentes de todas as épocas que enfrentam situações de desesperança: “… Não temas, nem vos assusteis… pois a peleja não é vossa, senão de Deus.” (v. 15).

No entanto, a narrativa revela três passos-chaves que colocam o povo de Deus na posiçãoem que Elepoderia dar-lhes a vitória:

1- Buscar ao Senhor. (v. 3).

Quando três nações resolveram formar uma frente unida para atacar Judá, a primeira reação de rei foi buscar a face do Senhor, suplicando sua ajuda. “Se algum mal nos sobrevier… nós nos apresentaremos… diante de ti…” (v. 9). – “… não sabemos nós o que fazer; porém os nossos olhos estão postos em ti.” (v. 12).

Neste incidente, Josafá nos dá uma grande demonstração da sua fé. Enfrentando uma crise aparentemente insolúvel, em vez de fitar o seu problema ele fixou os olhos no Senhor.

Era precisamente isso que Deus desejava. Assim Deus prometeu que, se Judá saísse com fé para combater o inimigo, Ele mesmo lutaria por Seu povo e lhe daria a vitória: “Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o SENHOR vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR é convosco.” (v. 17).

2- Crer no Senhor. (vv. 15,20).

Quando a nação se viu frente a frente com o desastre e quando as forças do inimigo ameaçaram invadir Judá, Deus falou por intermédio de Jaaziel: “Não temais…, pois a peleja não é vossa, senão de Deus.” (v.15b).

Talvez não tenhamos de enfrentar um inimigo, mas temos de lutar todos os dias contra as tentações, as pressões e “contra as forças espirituais do mal” (Ef 6.12) que desejam que nos rebelemos contra Deus. Lembre-se que, como cristãos, temos o Espírito de Deus dentro de nós. Se pedirmos o auxílio do Senhor quando enfrentamos lutas. Ele combaterá por nós. Deus sempre triunfa!

Mas o que devemos fazer para que Ele possa lutar por nós? Devemos entender que a batalha não é nossa, mas do Senhor e confiar plenamente nEle. “Porque em nós não há força… e não sabemos nós o que faremos; porém os nossos olhos estão em ti.” (v. 12). O profeta messiânico disse: “Olhai para o SENHOR e sereis salvos…” (Is 45.22ª).

3- Louvar ao Senhor. (v. 21).

Os Judeus formaram um grande coral e começaram a cantar e a louvar ao Senhor. E, ao tempo em que começaram (a cantar) com júbilo e louvor a Deus, na certeza de que Ele iria lutar por eles, os seus inimigos foram desbaratados. O louvor poderoso gera vitória.

Qual seja a situação ou tempo em que o povo de Deus o louva, Deus reina entre o povo e faz grandes coisas em seu favor.

“… Louvai o SENHOR, porque a sua benignidade dura para sempre.” (V. 21).

Resumo: “Nesta peleja, não tereis de pelejar; parai, estai em pé e vede o livramento do Senhor para convosco, ó Judá e Jerusalém…” (v.17ª).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Marcos 10.46-52

 Introdução: Jesus estava em Jericó. A grande multidão fazia contraste com o solitário e cego esmoler, sentado à beira da estrada. Jesus o notaria? Faria alguma coisa por ele? Já sabemos que assim seria. Jesus pararia. Ajudaria. Cuidaria daquele indivíduo miserável.

Que Mensagem – de Esperança – Temos Nesta Passagem!:

1- Ele Para. (v.49ª). Movido de misericórdia. A fim de ministrar a um pobre miserável. Em Jesus encontramos: atenção, interesse, compaixão, simpatia e poder divino.

2- Ele Chama. (v.49b).

Jesus está chamando ainda hoje! (Mt 11.28).

  • Pelo nome. (Is 43.1; 45.4; Lc 19.5 – Zaqueu).
  • De amigo. (Jo 15.15).
  • O pecador ao arrependimento. (Mt 4.17).
  • Para a vitória. (vv.49,51,52).

O cego não deixaria nada atrapalhar seu caminho para chegar até Jesus.

Saltamos a fim de atender ao seu chamado e receber sua benção.

3- Ele Ajuda. (vv.51,52). Como? Exemplos:

  • Samuel. (1Sm 7.12). – “A pedra de ajuda.”
  • Davi. (1Sm 23.28). – “A pedra de escape.”
  • Israel. (Is 41.10). – “O sustento.”

Cristo, o Nosso Amparo. A Escritura Sagrada diz:

“Assaltaram-me no dia da minha calamidade, mas o SENHOR me serviu de amparo.” (2Sm 22.19).

“Surpreenderam-me no dia da minha calamidade; mas o Senhor foi o meu amparo.” (Sl 18.18).

“Eu sou pobre e necessitado, porém o Senhor cuida de mim; tu és o meu amparo e o meu libertador; não te detenhas, ó Deus meu!” (Sl 40.17).

“Israel confia no Senhor; ele é o seu amparo e o seu escudo.” (Sl 115.9).

“A casa de Arão confia no Senhor; ele é o seu amparo e o seu escudo.” (Sl 115.10).

“Confiam no Senhor os que temem o Senhor; ele é o seu amparo e o seu escudo.” (Sl 115.11).

“Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hb 4.16).

– “lançai sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.” (1Pe 5.7).

Read Full Post »

Textos Bíblicos: 2Reis 4.23,26; Filipenses 4.13; Marcos 9.23

Introdução: As palavras têm poder. Tudo é possível pelo poder da palavra, mas poucos têm consciência disso. Existe poder em suas palavras. O poder vem quando você assume a responsabilidade por sua vida. Vejamos:

1- “… Tudo Vai Bem…” (2Rs 4.23,26).

Sunamita e o seu filho. Deus abençoou essa mulher fiel, dando-lhe um filho. (2Rs 4.8-17).

Deus a submeteu a uma prova severa quando permitiu que esse filho lhe fosse tirado. (2Rs 4.18-21).

Deus restaurou a vida do filho, quando ela se manteve firme na promessa que Deus lhe fizera. (2Rs 4.22-37). A Escritura Sagrada diz:

“Retenhamos firmes a confissão da nossa fé, porque fiel é o fez a promessa”. (Hb 10.23).

“Fiel é o que vos chama, o qual também o fará”. (1Ts 5.24).

2- “Tudo Posso…” (Fl 4.13).

Paulo estava preso na prisãoem Roma. Paulopodia viver com alegria porque compreendia a vida sob o ponto de vista de Deus.

Aprenda a confiar nas promessas de Deus e no poder de Cristo para ajudá-lo a manter-se contente.

Ele suprirá todas as suas necessidades, mas de uma forma que só Ele sabe ser a ajuda para você. (fl 4.19).

3- “… Tudo é Possível…” (Mc 9.23).

O jovem lunático. Ao pai do jovem lunático, Jesus disse-lhe: “… Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.” (v. 23).

Jesus disse que tudo é possível se crermos, porque nada é difícil para Deus. A Escritura Sagrada diz:

“… mas a Deus todo é possível”. (Mt 19.26).

“… porque para Deus todas as coisas são possíveis”. (Mc 19.27).

“Porque para Deus nada é impossível”. (Lc 1.37).

Não podemos ter imediatamente tudo o que pedimos a Ele, mas, com fé, podemos ter tudo o que precisamos. (Fl 4.13).

Resumo: Acredite é possível alcançar as bênçãos, resolver os problemas, vencer as lutas, superar as tribulações e tomar posse da vitória através do poder da palavra!

Read Full Post »

Older Posts »