Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Oração’ Category

Texto Bíblico: 1Reis 18.41-46

Introdução: Observando Elias, pode-se aprender muito sobre a oração. A necessidade de fé quando oramos, pois Elias creu que a sua oração seria respondida mesmo antes de vê-la atendida. (vv. 44,45). Tiago em sua Epístola explica que a oração do cristão pode ser tão eficaz quanto à oração de Elias.

1- A Oração de Elias era:

  • A oração de um justo. (Tg 5.16ª; Sl 66.18).
  • A oração de um homem de natureza humana semelhante a nossa. ( Tg 5.17).
  • A oração de muita eficácia. (v. 45; Tg 5.16,17).

2- Os Segredos da Oração eficaz de Elias:

1- A Sua Fé. (v. 41; Tg 5.17,18; 1Pe 17.1).

- “A fé é a certeza das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem.” (Hb 11.1).

O que a Bíblia diz sobre a fé:

- A Jairo Jesus disse-lhe: “… Não temas, crê somente.” (Mc 5.36).

- Ao pai do menino endemoninhado Jesus disse-lhe: “… Se tu podes crer; tudo é possível ao que crê.” (Mc 9.23).

- A Marta Jesus disse-lhe: “… Se tu creres verás a glória de Deus.” (Jo 11.40).

- O autor aos Hebreus admoesta-nos assim: “Cheguemos-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé.” (Hb 10.22).

- Tiago encorajá-nos a pedir com fé, não duvidando. (Tg 1.6; 5.15).

- Jesus enfatizou dizendo: “… tudo o que pedires, orando, crendo que o recebereis e tê-lo-eis.” (Mc 11.24).

2- A Sua Humildade. (v. 42).

Humildade é a virtude como manifestamos o sentimento da nossa fraqueza ou de nosso pouco ou nenhum mérito.

O que a Bíblia diz sobre a humildade:

- “… Deus atenta para os humildes…” (Sl 138.6).

- “E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado.” (Mt 23.12).

- “Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.” (Tg 4.10).

- “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que ao seu tempo, vos exalte.” (1Pe 5.6).

3- A Sua Sinceridade. (vv. 36-38).

Sinceridade é a qualidade do que é sincero. Que se exprime sem artifício, sem intenção de enganar, de disfarçar o seu procedimento.

- “Elias era um homem sujeito as mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse, e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra. E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto.” (Tg 5.17,18).

O que a Bíblia diz sobre a sinceridade:

- “… a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tg 5.16ª).

- “Cheguemos-nos com verdadeiro coração em inteira certeza de fé…” (Hb 10.22ª).

- “Cheguemos-nos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hb 4.16).

4- A Sua Perseverança. (vv. 43,44).

Perseverança é firmeza, constância na fé, nas virtudes. Persistir; conservar-se firme e constante.

O que a Bíblia diz sobre a perseverança:

- “Pedi; e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei; e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe, e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre.” (Mt 7.7,8).

- “… perseverai na oração.” (Rm 12.12).

- “Orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança…” (Ef 6.18).

- “Perseverai em oração, velando nela com ação de graças.” (Cl 4.2).

- “Orai sem cessar.” (1Tss 5.17).

Resumo: A oração eficaz, isto é, que produz milagres, não se limita a alguns poucos, como apóstolos e profetas. Todos os crentes podem orar acreditando que haverá grandes resultados. – “… a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tg 5.16ª).

 

Read Full Post »

 Texto Bíblico: 2Crônicas 7.1-3

Introdução: Por ser Davi um homem de guerra, Deus não permitiu que ele edificasse o templo. Seu filho Salomão, porém, era um rei pacífico, conforme significa seu nome (da palavra hebraica SHALOM – “Paz”). Por isso, Deus permitiu que ele construísse o templo em Jerusalém. Salomão dedicou os primeiros três anos do seu reinado à aquisição e transporte de matérias de construção para o templo, dando início à grandiosa construção só no quarto ano do seu reinado. (966 a.C.). 

A Construção do Templo (2Crô 2-4)

Em preparo para a grandiosa obra de construção, muito “cedros do Líbano” foram levados através de balsas, por mais de 100 quilômetros, pelo litoral do Mar Mediterrâneo, desde Tiro (no atual Líbano) até Israel. Tiro também pôs à disposição de Salomão os serviços de Hirão, talentoso escultor em bronze. Muitos outros artesãos habilidosos chegaram de toda região do mundo, então conhecido, para prestarem sua colaboração ao grande empreendimento de Salomão.

As pedras finíssimas, usadas na construção do templo, foram cinzeladas com perfeição, desde o fundamento até as beiras do teto, enfim, em toda a parte em que estas foram aplicadas. Mediam cerca de seis a sete metros quadrados. Quando lemos no Novo Testamento, Pedro referindo-se a “pedras vivas” comparando-as com os filhos de Deus, perfeitamente cinzelados, santos, dignos de oferecer sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, entendemos que ele estava fazendo uma alusão àquelas pedras do Antigo Testamento. O servo de Deus será esculpido com esmero, por dentro (pensamentos e atitudes) e por fora (palavras e ações) e assim cumprirá um desempenho feliz no templo espiritual do Senhor.

O exterior do templo foi trabalhado em pedra calcária branca adornada com esculturas de querubins, flores e palmeiras. Toda a mobília, bem como os pisos, paredes e tetos e até os pregos, eram cobertos de ouro. (2Crô 3.9). A construção deste enorme edifício levou 7 anos. Mais de 30.000 israelitas e 153.000 estrangeiros trabalharam na construção deste santuário do Deus de Israel.

Uma das características mais notáveis do templo foi seu extenso átrio de acesso, com duas colunas, denominadas Jaquim (“Ele estabelece”) e Boaz (“Nele está a força”).                                                 (EETAD – História de Israel).

A Dedicação de Templo (2Crô 5-7)

Uma vez edificado o templo, a arca da Aliança foi nele colocada. Embora a arca parecesse apenas uma simples e antiga caixa, em contraste com a magnificência do próprio templo, era venerada por todo Israel. Os judeus bem sabiam que sem a arca, o templo não passaria de um edifício qualquer, uma vez que ela simbolizava a presença de Deus no meio do Seu povo. 

O templo foi dedicado a Deus, e Salomão, juntamente com o povo, preparou-se para adorar ao Senhor: “… e adoravam, e louvavam o Senhor, porque é bom, porque a sua benignidade dura para sempre.” (v.3).

Louvai ao Senhor! Por quê? As Sagradas Escrituras dizem:

- “Bom é louvar ao Senhor e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo.” (Sl 92.1).

- “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios.” (Sl 103.1,2). 

A  Aceitação e  Aprovação de Deus (2Crô 7.1-3)

1- A Oração de Salomão.

Salomão orou com o pedido de que Deus viesse “… entra para o teu repouso…” (2Crô 6.41). A oração dele fora ouvida. E a aceitação de Deus foi confirmada. Então, desceu fogo do céu, consumindo os sacrifícios e as ofertas queimadas. Então a glória do Senhor encheu o templo. (v.1). O fogo e a glória de Deus são os sinais da sua aprovação.

A gloriosa presença de Deus se fazia sentir de maneira tão poderosa naquele edifício que os sacerdotes não podiam entrar no templo. (v.2). No entanto, nenhum edifício é suficiente para conter Deus, pois Salomão afirmou: “… Eis que céu e o céu dos céus não te podem conter, quanto menos esta casa que eu tenho edificado.” (2Crô 6.18).

A oração de Salomão foi aceita e respondida por Deus. As Sagradas Escrituras dizem:

- “Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes.” (Jr 33.3).

- “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.” (Mt 7.7).

- “E tudo que pedirdes em oração, crendo, o recebereis.” (Mt 21.22).

- “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.” (Jo 15.7).

A promessa positiva de Deus é que, se clamarmos a Ele, Ele nos responderá se tal que ficaremos impressionados.

2- O Fogo Desceu do Céu.

Deus enviou fogo do céu e consumiu o holocausto e os sacrifícios. O fogo simbolizava a presença de Deus. O fogo apontava para a verdadeira consagração do templo, porque somente o poder purificador de Deus é capaz de santificar. (Nm 31.23ª).

O fogo Era um Emblema da Presença Divina. Exemplos:

  • Fogo como presença de Deus. (Êx 19.18).
  • Fogo como resposta de Deus. (1Rs 18.38; 1Crô 21.26).
  • Fogo como provação de Deus. (Dn 3.21; Is 43.2c).
  • Fogo como aceitação de Deus. (2Crô 7.1).
  • Fogo como poder de Deus. (Hb 1.7b).

Deus é um fogo consumidor (Dt 4.24) e tudo que estiver envolvido pela presença de Deus também se torna fogo. O fogo era a glória da presença de Deus, a Shekinah, que transformava tudo e todos em que tocasse.

3- E a Glória do Senhor Encheu a Casa.

A “glória do Senhor” refere-se a uma manifestação visível da presença e do esplendor de Deus. A glória de Deus também se refere á presença visível de Deus entre o seu povo. A glória de Deus é também chamada a Shekinah de Deus. A palavra Shekinah vem do verbo hebraico que significa “habitação (de Deus)”, empregada para descrever a manifestação visível da presença e a glória de Deus.

A Glória do Senhor. Exemplos:

  • Moisés viu a Shekinah de Deus no meio da sarça ardente (Êx 3.2) e na coluna de nuvem e de fogo. (Êx 13.21).
  • Ela cobriu o Sinai quando Deus outorgou a Lei. (Êx 24.16,17). 
  • Encheu o Tabernáculo. (Êx 40.34).
  • Guiou Israel no deserto. (Êx 40.36-38).
  • Encheu o templo de Salomão. (2Crô 7.1).
  • Hoje é possível ver a glória de Deus. (Jo 11.40).
  • E hoje você pode ser cheio da glória de Deus. (Sl 81.10).

A glória do Senhor encheu a casa! “E os sacerdotes não podiam entrar (ter-se em pé) na casa do Senhor, porque a glória do Senhor tinha enchido a casa do Senhor.” (v.2). E hoje aqui não é diferente, não vai ficar nem um centímetro e nem um metro deste lugar que não tenha glória. Acredite! Abre a sua boca e seja cheio da Glória de Deus!

Resumo: Que privilégio: O nosso corpo é templo do Espírito Santo. (2Co 6.16). Deus agora habita nossos corações como seu templo. (1Co 3.16). Se o buscarmos, Ele está conosco no mesmo momento. No instante em que colocamos as ofertas que selecionamos sobre o altar, o seu fogo Santo desce. E sempre que deixarmos espaço disponível para Deus, Ele vem e o ocupa! 

Após 14 dias de adoração e louvor, o povo voltou para suas casas, cheio de alegria e fervor.  (2Crô 7.8-10).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Lucas 18.1-8

Introdução: Esta passagem tem como ilustração sobre a necessidade e a eficácia da oração persistente: “… o dever de orar sempre e nunca desfalecer.” (v.1).

1- Um Juiz.

John Gill assevera que toda a cidade que contava com uma população de cento e vinte homens ou mais, era dirigida por um grupo governante de vinte e três homens. Nas cidades onde havia menos de cento e vinte homens, três juízes eram nomeados, porque, nesses casos, não havia o corpo governante de vinte e três elementos.

Esse Juiz único era possível nas aldeias pequenas, embora não fosse prática recomendada na literatura judaica.

De conformidade com Maimonides, as qualificações daquele que deveria agir como juiz eram:

  • Sabedoria, mansidão (ou modéstia).
  • Temor (isto é, de Deus).
  • e Ódio a mamom (ou dinheiro).
  • Amor à verdade, amor ao gênero humano, e ser Senhor de um bom nome.

“O caráter do Juiz, aqui delineado, é de tal tipo que ele se permitia, com a mais total indiferença, ser controlado pelo egoísmo mais desavergonhado.” (Lange, in Loc).

“Sua consciência estava morta, e não havia amor às coisas aprovadas, e nem temor de culpa para suprir à ausência daquela.” (Ellicott, in Loc.).

2- Naquela mesma cidade uma viúva.

A viúva aparece aqui como símbolo daqueles que precisam ser defendidos contra a exploração alheia, alguém relativamente sem defesa, verdadeiramente dependente da bondade de terceiros para a sua sobrevivência. Em uma época em que as mulheres eram muito menos independentes e muito mais destreinadas para toda e qualquer ocupação industrial ou comercial.

“A viúva desejava não somente que ele pusesse fim à sua causa interminável, mas também que ele a libertasse para sempre das mãos de um poderoso adversário, o qual perseguia obstinadamente a uma mulher incapaz de defender-se.” (Lange, in Loc.).

3- Desta parábola da viúva aprendemos que há três elementos (segredos) indispensáveis à oração:

1- Confiança. Exemplos:

  • O salmista Davi. (Sl 6.9).
  • O profeta Elias. (Tg 5.17,18).

A Sagrada Escritura diz:

- “Chegamos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hb 4.16).

2- Humildade.

Humilhar perante o Senhor é manifestar o sentimento da nossa fraqueza ou de nosso pouco ou nenhum mérito.

Este é o passo que conduz:

  • À honra. (Pv 15.33; 18.12).
  • À vitória. (2Crô 7.14; Ec 9.11; 1Co 15.57; 2Co 2.14).
  • À exaltação. (Sl 147.6; Mt 23.12; Tg 4.10; 1Pe 5.6).

3- Perseverança. (v.1). Exemplos;

  • O salmista Davi. (Sl 55.17).
  • O profeta Daniel. (Dn 6.10).
  • Os apóstolos de Jesus. (At 1.14).

As Sagradas Escrituras dizem:

- “Pedi, e dar-se-vos-á, buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e ao que bate, se abre.” (Mt 7.7,8).

- “… perseverai na oração.” (Rm 12.12b).

- “Perseverai em oração…” (Cl 4.2ª).

- “Orai sem cessar.” (1Tss 5.17).      

Resumo: Quando Confiamos, Humilhamos e Perseveramos em oração, crescemos em caráter, fé e esperança.

Read Full Post »

Texto Bíblico: Lucas 18.1 

1- O que é oração:

  • A oração é a dependência de Deus,
  • A oração é o elo de ligação com Deus,
  • A oração é o oxigênio do crente. (1Tss 5.17),
  • A oração é a respiração da alma. (1Tss 5.17),
  • A oração é uma arma poderosa. (Ef 6.11,13),
  • A oração é uma chave invisível. (At 16.25-28),
  • A oração é uma “alavanca” que move o braço que sustenta o mundo, o braço de Deus.          

2- A oração é descrita como:

  • Invocar ao Senhor. (Sl 17.6),
  • Invocar o nome do Senhor. (Gn 4.26). “Enos,”
  • Clamar ao Senhor. (Sl 3.4),
  • Buscar ao Senhor. (Is 55.6),
  • Levantar nossa alma ao Senhor. (Sl 25.1),
  • Aproximar-se do trono da graça com confiança. (Hb 4.16),
  • Chegar perto de Deus. (Hb 10.22; Tg 4.8).

3- Como devemos orar:

  • Podemos orar em silêncio. (1Sm 1.13),
  • Podemos orar em voz alta. (Ne 9.4; Ez 11.13),
  • Podemos orar através do Espírito (i, e., em línguas). (1Co 14.14-18),
  • Podemos orar até mesmo através de gemidos. (Rm 8.26),
  • Podemos orar cantando ao Senhor. (Sl 92.1,2; Ef 5.19,20; Cl 3.16),
  • A oração pode ser acompanhada de jejum. (Ed 8.21; Ne 1.4; Dn 3.4; Mt 6.16; Lc 2.37; At 14.23).

4- Qual a posição que se deve orar:

Notam-se várias posições na oração, tanto no A. T. como no N. T.. A Bíblia menciona pessoas orando:

  • Em pé. (1Sm 1.10,26; 1Rs 822; Ne 9.4,5; Lc 18.11),
  • Sentados. (1Crô 17.16; Lc 10.13),
  • Ajoelhados. (Ed 9.5; Dn 6.10; Lc 22.41),
  • Prostradas. (Nm 16.22; 2Sm 12.16; Mt 26.39),
  • Acamadas. (Sl 63.3; Is 38.1,2),
  • Curvadas até o chão. (Êx 34.8; Sl 95.6),
  • E de mãos levantadas (erguidas) aos céus. (Ed 9.5; Sl 28.2; Is 1.15; 1Tm 2.8).

5- Quando e onde orar:

  • Dentro do grande peixe. (Jn 2.1),
  • Sobre os montes. (1Rs 18.42; Mt 14.23),
  • No terraço da casa. (At 10.9),
  • Num quarto interior. (Mt 6.6),
  • Na prisão. (At 16.25),
  • Na praia. (At 21.5),
  • No templo – “a casa de Deus.” (Lc 18.10; At 3.1).

6- Como deve ser feita a oração:

  • Com fé. (Mt 21.22; Mc 9.23; 11.24; Hb 4.16; 10.22; Tg 1.6; 5.15),
  • Com fervor. At 4.31),
  • Com obediência. (1Jo 3.22),
  • Com perseverança. (Lc 18.1-7; Mt 7.7,8; Rm 12.12; Ef 6.18; Cl 4.2; 1Tss 5.17),
  • Com sinceridade. (Hb 10.22),
  • Com louvor e adoração. (Sl 100.4; 150; Fl 4.6),
  • Com a confissão sincera de pecados conhecidos. (Tg 5.16; Sl 51; Lc 18.13; 1Jo 1.9),
  • Em comunhão com Cristo e sua palavra. (Jo 15.7),
  • Em nome de Jesus. (Jo 14.13,14),
  • No Espírito Santo. (Ef 6.18),
  • Segundo a vontade de Deus. (Mt 6.9,10; 1Jo 5.14). A oração do próprio Jesus no Getsêmani. (Mt 26.42),
  • Segundo a nossa necessidade. (Tg 4.3; Sl 27.7-12; Fl 4.6).

Read Full Post »

Texto Bíblico: Daniel 1.4; 6.1-5

1- Um homem de linhagem real – “Príncipe.” (1.3).

2- Um homem sem defeito – “Perfeito.” (1.4).

3- Um homem formoso de aparência. (1.4).

4- Um homem de sabedoria – “Culto.” (1.4; 2.30).

5- Um homem de habilidade – “Experiência.” (1.4).

6- Um homem de temor a Deus – “separação.” (1.8).

7- Um homem de entendimento em toda visão e sonhos – “Visão de Deus.” (1.17b).

8- Um homem de louvor a Deus – “Adoração.” (2.19-23).

9- Um homem de espírito excelente – “Capacidade.” (6.3).

10- Um homem de luz. (5.11).

11- Um homem de fidelidade a Deus – “Obediência.” (1.8; 6.4,10).

12- Um homem sem vício – “Livre.” (6.4).

13- Um homem inculpável – “Perfeito.” (6.4).

14- Um homem de oração – “Dedicação.” (6.4).

15- Um homem que confiava em Deus – “Perseverança.” (6.10).

16- Um homem de inocência diante de Deus e dos homens – “Santidade.” (6.22).

Read Full Post »

Texto Bíblico: 1Reis 18.30-39

Elias e os quatrocentos e cinqüenta profetas de Baal:

1- Ele convida o povo a tomar uma decisão. (v.21).

2- Ele desafia o povo a uma prova de fogo. (vv.22-24).

O que Elias fez:

1- Reparou o altar. (v.30). Conserto.

Como está teu altar?:

  • Quebrado,
  • Derrubado,
  • Destruído.

2- Edificou o altar. (v.32). Compromisso.

Com está teu compromisso com Deus?

3- Pós a lenha sobre o altar. (v.33). Oração (combustível).

- “O fogo arderá continuamente sobre o altar; não se apagará; mas o sacerdote acenderá lenha nele cada manhã… O fogo arderá sobre o altar; não se apagará.” (Lv 6.12,13). 

- “Sem lenha, o fogo se apagará…” (Pv 26.20ª).

4- Ofereceu à vítima sobre o altar. (v.33). Sacrifício.

Qual é a tua vítima? A Bíblia diz: “… Ninguém aparecerá vazio perante mim.” (Êx 23.15).

Exemplos de sacrifícios:

1- Abraão ofereceu seu único filho em holocausto. (Gn 22.1-14).

2- Davi ofereceu sacrifício de valor. (2Sm 24.24).

3- A mulher pecadora levou um vaso de alabastro com ungüento. (Lc 7.37,38).

4- A viúva pobre ofereceu tudo o que tinha. (Lc 21.1-4).

5- Jesus disse aos seus discípulos: “… Se alguém quizer vir após mim, renuncie-se a si mesmo (sacrifício próprio), tome sobre si a sua cruz e siga-me.” (Mt 16.24).

6- Paulo adverte: “Rogo-vos, pois irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” (Hb 12.1).

5- Pós água sobre o altar. (vv.34,35). Purificação. (Ef 5.26).

A Escritura Sagrada diz:

- “Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação.” (1Tss 4.7).

- “Portanto escrito está: sedes santos, porque eu sou santo.” (1Pe 1.16).

Quais são os meios de santificação:

1- A palavra de Deus. (Sl 119.9,11; Jo 15.3; Ef 5.26).

2- O sangue de Cristo. (1Jo 1.7; Hb 9.22).

3- A glória de Deus. (Êx 29.43).

6- Orou ao Senhor. (vv.36-38). Confiança.

A Escritura Sagrada diz:

- “… a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tg 5.16c).

- “… tudo é possível ao que crê.” (Mc 9.23).

- “… se tiverdes fé… nada vos será impossível…” (Mt 17.20).

- “… se creres verás a glória de Deus.” (Jo 11.40).

Read Full Post »

Texto Bíblico: 1Reis 18. 30-39

Altar, lat. “Altus”: Lugar elevado para oferecer sacrifícios. Havia dois tipos de altares. Um consistia de terra. (Êx 20.24), ou de uma rocha. (Jz 13.19), ou de uma só pedra grande. (1Sm 14.33-35), ou de várias pedras não lavradas. (Êx 20.25; 1Rs 18.31,32).

Altar lugar de oferecer sacrifícios a Deus:

  • Sacrifício de devoção. (Gn 8.20).
  • Sacrifício de adoração. (Gn 22.1-14).
  • Sacrifício de valor. (1Sm 24.24).

“Possuímos um altar…” (Hb 13.10). Nossos sacrifícios são:

  • Nossos corpos. (Rm 12.1).
  • Nosso louvor. (Hb 13.15).
  • Sacrifícios espirituais. (1Pe 2.5).
  • Sacrifícios agradáveis a Deus. (Sl 51.17).

Os sacrifícios que agradaram a Deus:

  • O sacrifício de Abel. (Gn 4.4). “Ofereceu dos primogênitos das suas ovelhas.”
  • O sacrifício de Abraão. (Gn 22.1-14). “Ofereceu seu único filho Isaque em holocausto.”
  • O sacrifício de Davi. (1Sm 24.24). “Ofereceu sacrifício de valor.”

- “Os sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado, coração compungido e contrito não o desprezarás, ó Deus.” (Sl 51.17).

Os sacrifícios que não agradaram a Deus:

  • O sacrifício de Caim. (Gn 4.3,5). “Ofereceu do fruto da terra.”
  • Os sacrifícios de Nabade e Abiú. (Nm 10.1).
  • Os sacrifícios de ímpios. (Pv 15.8).
  • O sacrifício de tolo. (Ec 5.1).

Os preparativos para a construção de altar de Elias:

1- Consertou o altar que estava quebrado. (v.30).

Como está teu altar?:

  • Quebrado,
  • Destruído,
  • Derrubado,
  • Sem lenha. (Pv 26.20). “Oração – combustível”,
  • Sem vítima. “Renúncia – sacrifício”.

2- Tomou doze pedras, conforme o número das tribos de Israel para construção do altar. (vv.31,32).

Qual (quais) a pedra que está faltando no teu altar?:

  • A pedra do Amor,
  • A pedra do Perdão,
  • A pedra da Oração,
  • A pedra da Dedicação,
  • A pedra da Submissão,
  • A pedra da Fidelidade,
  • A pedra da Comunhão,
  • A pedra da Consagração,
  • A pedra da Confiança,
  • A pedra da Renúncia,
  • A pedra da Gratidão,
  • A pedra da Adoração.

3- Orou ao Senhor para que descesse fogo sobre o altar. (vv.36-38).

A Sagrada Escritura diz: “… a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tg 5.16c).

A nossa oração deve ser feita:

  • Com humildade. (Mt 23.12; Tg 4.10; 1Pe 5.6).
  • Com sinceridade. (Hb 10.22).
  • Com confiança. (Tg 1.6; 5.15; Mc 9.23; Hb 4.16).
  • Com fervor. (At 4.31).
  • Segundo a vontade de Deus. (Mt 6.9,10; 1Jo 5.14).
  • Segundo a nossa necessidade. (Tg 4.3; Sl 27.7-12; Fl 4.6).

Read Full Post »

Older Posts »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 186 outros seguidores